Newsletter
Receba novidades, direto no seu email.
Assinar
Entrevista
Entrevista 24 de março de 2023

A versatilidade do chá e a evolução da categoria no Brasil

Flavio Andrade, gerente de Trade & Marketing da Leão, comenta as estratégias da companhia para o atual cenário de consumo do produto no país

Uma bebida milenar de origem chinesa tem ganhado cada vez mais adeptos no mundo. O consumo do chá vem sendo uma escolha saudável para o consumidor que procura por saudabilidade e até mesmo pela substituição de refrigerantes. De acordo com dados de um balanço da Euromonitor International o consumo de chá no Brasil cresceu 25% entre 2013 e 2020, quase o dobro da média mundial, de 13%. Mas, como essa bebida, conhecida principalmente pelo seu consumo quente, pôde cair no gosto da população de um país tropical como o Brasil?

Pensando nesse cenário, a Leão Alimentos e Bebidas, responsável pela produção de chás para infusão do portfólio da Coca-Cola no Brasil, reforçou sua comunicação com linhas de chá para preparo em água gelada, desmitificando a bebida como apenas para o inverno. ?Desde 2019, quando introduzimos os chás gelados por infusão no mercado brasileiro, o nosso propósito foi quebrar a sazonalidade do consumo de chás, dissociando a bebida de épocas frias, e ampliar as opções de produtos para o consumidor?, comenta Flavio Andrade, gerente de Trade & Marketing da Leão. De acordo com a companhia suas linhas Leão Preparo em Água Gelada e Leãozinho, também com preparo em água gelada ou natural desenvolvida para o público infantil, cresceram juntas 74% em vendas comparando os anos de 2021 e 2022.

De acordo com o executivo, a Leão avançou no mercado com bons resultados durante os últimos anos. "Acredito que com o trabalho distribuição e com as próprias novidades fortalecem cada vez mais o papel companhia como uma marca líder tanto pro varejo quanto também pros consumidores."

A versatilidade do chá

Em entrevista exclusiva para a SuperVarejo, Flavio Andrade destacou a missão de tornar o chá como uma bebida cada vez mais versátil, que pode ser consumida de diversas formas e tem ganhado destaque na gôndola de saudáveis. "Com o passar dos anos o consumidor tem ficado cada vez mais atento aos rótulos e ao valor nutricional, isso reforça que o chá pode, sim, trazer, além de prazer, funcionalidade. Chá tem um grande apelo para o emagrecimento, para dietas, mas não somente isso que ele pode contribuir". Além disso, o executivo comenta sobre a popularidade que o produto ganhou, principalmente pelo público jovem, com a possibilidade de ser ingerido com bebidas alcóolicas. "A bebida alcoólica é um um prato cheio para trabalharmos. Participamos da comunicação para divulgação do uso de chás com gins, whisky e vodka, por exemplo. É um mercado a ser muito explorado, ainda", diz.

Evolução da categoria

De acordo com a companhia, no Brasil, em 2015, a per capita (indicador que ajuda a medir o grau de desenvolvimento) era de 15,9 doses/xícaras por habitantes (1 dose = 240ml). Em 2022, os número foram para 20,6 doses/xícaras (somente linha Seca). Esse número ainda é pequeno quando comparado com países da América do Sul, que tem a bebida como hábito mais tradicional, além de cultural.

Dados da Leão em número de xícaras por habitante. (Crédito/Leão Alimentos e Bebidas)

Andrade reforça que a missão da Leão ainda tem um caminho longo a trilhar no Brasil Atualmente a empresa investe recursos em distribuição, para que os produtos alcancem consumidores de todas as partes do país. "Nosso papel não é somente continuar no mesmo nicho de clientes. Visamos trazer novas pessoas para a categoria, com lançamentos e novas opções de consumo de chá", finaliza o executivo.

Deixe seu comentário