Especial
Especial 31 de janeiro de 2023

NRF 2023: inovação e tecnologia como aliados para reduzir custos

Para apontar destaques e tendências trazidas por um dos mais importantes encontros de varejo do mundo, especialistas se reuniram em evento organizado pela ?Varejo 180?. Confira

Debater e compartilhar todo o conteúdo encontrado na edição 2023 da NRF Retail?s Big Show, que foi realizada em Nova Iorque (EUA), no mês de janeiro, foi o objetivo de especialistas da ?Varejo 180?, que se encontraram hoje (31 de Janeiro), em evento realizado no Tokio Marine Hall, na capital paulista. A programação foi conduzida por Ronald Nossig, CEO da empresa, e teve a participação de nomes como Gustavo Carrer, head of Sale da Inware, que destacou as diferenças entre os conteúdos apresentados na edição 2022 e 2023 da NRF. ?No último ano, vimos destacado no evento a importância no investimento para uma aceleração digital, principalmente em razão do crescimento do e-commerce. Em 2023 esteve em alta aspectos como a importância da inovação e do uso da tecnologia nas lojas para elevar o tráfego e reduzir custos?, ressaltou.

Outra palestra que se destacou foi de Caio Megali, Economista Sell Side na XP Investimentos, que trouxe um panorama do Cenário Econômico 2023, tanto no Brasil, como na economia mundial. ?O que teremos esse ano será uma desaceleração da atividade econômica, dentro e fora do Brasil. Será um ano de pisar no freio para arrumar a casa, em um reequilíbrio da economia pós-pandemia?, afirmou.

Entre os temas, quando se trata do perfil de consumidores no momento atual, foi destacado pelos especialistas a importância da geração Z (nascidos entre a segunda metade dos anos 1990 até o início do ano 2010), cujo comportamento é resumido pela palavra fluidez. Esse público busca não ter barreiras quando se fala de gênero, sexualidade, relações com o trabalho, carreira e obviamente, com o consumo. E o desafio para o varejo é saber como atender às demandas desse público, também são narcisistas digitais, clientes impacientes, intolerantes e que impõem uma narrativa de sustentabilidade ao consumo.

Deixe seu comentário