Coronavírus

  • Vigor leva produtos e apoio para funcionários da saúde

    Notícia Coronavírus 16:48 - 25 de junho de 2020

    Como forma de homenagear os profissionais que estão na linha de frente do combate ao coronavírus, a Vigor lançou a campanha #ObrigadoPeloSeuVigor, com a hashtag criada pela SunsetDDB, para que as pessoas de todo o País possam enviar as suas mensagens de agradecimento aos funcionários do Hospital das Clínicas de São Paulo.

    As homenagens chegam por meio de um totem eletrônico, instalado no local, e faz parte da ação de desdobramento de uma iniciativa solidária que vem sendo feita pela empresa, desde 30 de março, quando foram instaladas geladeiras no centro médico. Desde esta data, a Vigor permanece abastecendo todas elas com iogurtes, diariamente. A contribuição faz parte dos R$ 3 milhões doados, em forma de alimentos, para instituições e hospitais.

    Para Flávia Drummond, diretora de marketing da Vigor, a ação é uma forma de conectar a população a esses profissionais. "Já estávamos prestando o nosso agradecimento a eles por meio da doação de nossos produtos, mas, com essa iniciativa, encontramos uma maneira de homenageá-los. Quisemos dar às pessoas de fora da Vigor a oportunidade de também demonstrarem o seu agradecimento a quem está lutando diariamente para salvar vidas", explica. 

     


    Veja também


  • Diageo apoia bares e restaurantes na reabertura

    Notícia Coronavírus 09:21 - 25 de junho de 2020

    A Diageo, proprietária da Ypióca, anunciou uma iniciativa global para apoiar bares e restaurantes no pós-pandemia.

    O Movimento Pró-Bar - Estamos Juntos! é um programa de dois anos, que vai oferecer para os estabelecimentos, do setor de todo o mundo, acesso gratuito a treinamentos e suporte online, por meio do Diageo Bar Academy.

    Além disso, a companhia vai destinar US$ 100 milhões (cerca de R$ 500 milhões) em auxílios para a recuperação de bares e restaurantes em cidades ao redor do mundo, como por exemplo, São Paulo, Nova Iorque, Londres, Edimburgo, Dublin, Belfast, Cidade do México, Shanghai, Déli, Mumbai, Bangalore, Nairóbi, Dar es Salaam, Kampala, Sydney, entre outras.

    Os estabelecimentos interessados na iniciativa devem se inscrever pelo portal online do Diageo Bar Academy. "Bares e restaurantes estão no coração das comunidades. Muitos pontos de venda foram afetados por essa crise e precisam urgentemente de ajuda para reabrir suas portas. Esses estabelecimentos desempenham um papel essencial no encontro de pessoas para socializar e celebrar - algo que todos perdemos tanto durante esta terrível crise - e geram centenas de milhões de empregos, muitas vezes o primeiro da carreira de uma pessoa", explica Ivan Menezes, CEO global da Diageo.

    No Brasil, os investimentos da marca serão em torno de R$ 15 milhões.

     


    Veja também


  • Heineken e Wickbold se unem para doação solidária

    Coronavírus Notícia 17:36 - 22 de junho de 2020

    A Heineken e a Wickbold fecharam uma parceria chamada “Fornada do Bem”, que consiste em transformar o malte da cervejaria em pão. Ao todo serão 2 milhões de pães de forma que vão ajudar a compor 1 milhão de sanduíches destinados às famílias que passam por necessidades. Os lanches vão ser distribuídos a partir do mês de julho, no estado de São Paulo, pela ONG Banco de Alimentos.

    "Seguimos nosso compromisso de continuar articulando frentes para minimizar as consequências desta crise. O projeto 'Fornada do Bem' é mais um exemplo de parceria inédita e inovadora para ajudar centenas de pessoas", disse Mauricio Giamellaro, CEO do Grupo HEINEKEN no Brasil.

    A cervejaria doou 3 toneladas de malte, que passarão por processos de moagem específicos. A Wickbold também agilizou a linha de produção para atender as demandas da iniciativa, que visa fabricar 40 toneladas do produto. "Estou otimista em ver a postura solidária de tantas empresas e sinto que esse momento tem sido de profunda reflexão para o entendimento de que há um papel fundamental do setor privado na construção de uma sociedade menos desigual", afirma Pedro Wickbold, diretor da companhia.

    Imagem de capa: iStock


    Veja também


  • Coca-Cola doa garrafas de água para o Anhembi

    Coronavírus Notícia 16:50 - 18 de junho de 2020

    A Coca Cola FEMSA Brasil doou 24 mil garrafas individuais de água mineral Crystal para o Hospital Municipal de Campanha do Anhembi, que está sendo utilizado para tratar o coronavírus, em São Paulo.

    O ação, realizada em parceria com a Coca-Cola Brasil, teve como objetivo contribuir com a hidratação dos profissionais da saúde que estão na linha de frente do atendimento à população. "É missão da Coca-Cola FEMSA Brasil gerar bem-estar social nos lugares em que está presente. Essa iniciativa nos dá a chance de oferecer um produto essencial aos profissionais que estão mobilizados para realizar o trabalho mais importante nesse momento, que é salvar vidas", afirma Ian Craig, CEO da Coca-Cola FEMSA no Brasil.

    A empresa também chegou a realizar doações para outros hospitais, como: o Hospital Central da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, na capital paulista; o Hospital Metropolitano Odilon Berens, em Minas Gerais, entre outros.

    Imagem de capa: Pixabay

     


    Veja também


  • Pepsico doa mais de uma tonelada de produtos para Itu

    Coronavírus Notícia 16:26 - 17 de junho de 2020
    Para ajudar as pessoas em estado de vulnerabilidade social, afetadas pela Covid-19, a PepsiCo doou mais de 8 mil unidades de produtos às famílias no município de Itu (SP), onde possui um Centro de Distribuição e uma unidade fabril.
     
    As doações serão repassadas para a prefeitura de Itu, que distribuirá as cestas básicas para as famílias cadastradas nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) da cidade.
     
    "Somos uma das empresas líderes na produção de alimentos e bebidas, sabemos o compromisso e a responsabilidade que a PepsiCo tem com o Brasil. Assim, é nosso dever dar acesso à alimentação àqueles que mais necessitam", explica Mateus Couto, líder da planta da PepsiCo em Itu.
     
    Além disso, a companhia anunciou a doação de mais de 115 mil refeições no País, por meio de aporte financeiro da Fundação PepsiCo, braço filantrópico global da companhia, ao GFN (Global Foodbanking Network). A distribuição dessas refeições será realizada pelo Mesa Brasil, do SESC, parceiro local do GFN. 
     
    O pacote de medidas da empresa também inclui o apoio à renda de cooperativas de reciclagem parceiras, que foram impactadas pelo coronavírus.
     

     


    Veja também


  • Petz anuncia a doação de R$ 1 milhão

    Coronavírus Notícia 13:59 - 15 de junho de 2020

    A Petz, rede de pet shops, anunciou a doação de R$ 1 milhão aos planos de contingência ao combate da pandemia da Covid-19. O investimento será direcionado à capacitação e treinamento dos profissionais que estão na linha de frente, montagem e acompanhamento dos hospitais de campanha, equipamentos de segurança, compra de respiradores, entre outros.  

    "Entendemos o importante papel social que desempenhamos. Assim que foi decretada a pandemia, adotamos diversas medidas de segurança para os nossos colaboradores e funcionários, vcomo por exemplo: o uso de álcool em gel e o distanciamento mínimo de segurança nas lojas; o Zero Contato, ação em que o cliente faz a compra no nosso e-commerce e retira na unidade de sua preferência, com um funcionário alocando as compras no porta-malas, sem qualquer contato físico entre ambos; e ainda instituímos a prestação de serviços médicos do Centro Veterinário Seres em domicílio", explica Sergio Zimerman, presidente da Petz.

     


    Veja também


  • Condor entrega 12 toneladas de alimentos para Joinville

    Coronavírus Notícia 17:04 - 03 de junho de 2020

    A doação do Condor Super Center, em forma de mil cestas básicas, será realizada nesta quinta-feira, dia 04 de junho, no Centro de Abastecimento da Secretaria, no bairro de Bucarein, em  – Joinville-SC, e será destinada às famílias em situação de vulnerabilidade social, assistidas pela Secretaria de Assistência Social de Joinville (SAS).

    “Milhares de famílias estão sofrendo com a pandemia, por isso, unimos forças com a Secretaria de Assistência Social de Joinville para fazer com que as cestas básicas cheguem até as pessoas que realmente estão precisando. Hoje, somos a principal rede abastecedora da cidade e estamos engajados com os órgãos públicos para ajudar a população neste momento difícil”, afirma o presidente do Condor, Pedro Joanir Zonta.

     


    Veja também


  • Abílio Diniz e as lições para o varejo, após a Covid-19

    Coronavírus 17:44 - 25 de maio de 2020

    Foi nesse tom descontraído que Abílio Diniz, presidente do conselho de administração da Península Participações e membro dos conselhos do Carrefour Brasil e Global, conversou nesta quinta-feira (dia 21 de maio) com João Sanzovo Neto, presidente da ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados e com o mediador da live, Ronaldo dos Santos, presidente da APAS.

    “Essa é uma das crises mais violentas que já vi, afinal as pessoas estão com medo do coronavírus, medo de morrer, medo da crise econômica e de perderem os seus empregos, mas é preciso enfrentar tudo isso com serenidade. E, no caso dos supermercardistas, com maior atenção para os negócios e o caixa, que depois da saúde, é uma das partes fundamentais para que o estabelecimento se mantenha de pé”, afirma Diniz.

    Para se ter uma visão mais razoável do que estar por vir, ele acredita que é preciso separar o medo real do medo imaginário. Ou seja, não alimentar a ilusão de que a vida voltará ao normal, antes da criação de uma vacina ou remédio que realmente detenha a Covid-19. “Não acredito no que dizem sobre o mundo nunca mais ser o mesmo. Acho que as pessoas vão continuar querendo sair, viajar, jantar, encontrar os seus amigos. E nesse quesito, algumas coisas que estamos vendo são acelerações de processos que já existiam. As vendas do e-commerce vão aumentar, mas ele já existia. O trabalho em home office vai aumentar, mas também já existia. Por outro lado, quando vier a flexibilização, as pessoas vão precisar continuar usando máscaras, evitando aglomerações, e isso não tem a ver com a vida ‘normal’, ao meu ver”, defende Diniz.

    E sendo assim, os supermercados terão que continuar usando os protocolos de segurança, depois que o isolamento social terminar. As pessoas também vão continuar dando preferência para as lojas de conveniência dos bairros. “Mas isso também já existia, então não vejo muita coisa mudando depois dessa crise, exceto para os consumidores, que devem priorizar mais a alimentação saudável, e para os supermercadistas, que com a queda nas taxas de juros, inflação inexistente e real desvalorizado podem ter futuramente uma ótima oportunidade de crescer no varejo alimentar, depois que tudo isso passar”, conclui Diniz.


    Veja também


  • Zanchetta toma medidas de prevenção à Covid-19

    Notícia Coronavírus 18:33 - 14 de maio de 2020

    O Grupo Zanchetta de alimentos, seguindo as recomendações de saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS), está fazendo o possível para manter o abastecimento nos níveis normais.

    Com isso, a empresa montou um vídeo, como forma de agradecer a todos os funcionários da cadeia produtiva pelo seu trabalho, em uma época tão complicada.

    Além disso, a companhia tomou medidas preventivas como: a distribuição de materiais informativos, o transporte para os trabalhadores, higienização diária, doação de cestas básicas e disponibilização de álcool em gel.

     


    Veja também


  • Supermercados Pague Menos doa R$ 2 milhões

    Notícia Coronavírus 18:00 - 08 de maio de 2020

    A Rede de Supermercados Pague Menos, com 28 lojas em funcionamento em 16 municípios do interior de São Paulo, aderiu à corrente do bem em prol à solidariedade contra a Covid-19, e anunciou a doação de R$ 2 milhões em cestas básicas, por meio do Instituto Pague Menos.

    "Além de apoiar a comunidade, os colaboradores e fornecedores, esta iniciativa também pretende incentivar outros empresários a aderirem ao movimento", conta Jefferson George, presidente da companhia.

    Serão cerca de 50 mil cestas básicas para o fundo social e instituições das cidades onde a empresa atua. além disso, a empresa costuma realizar outras ações como doações mensais de produtos para projetos sociais, pelo Instituto Pague, incuindo o atendimento a alguns grupos de voluntários.

     

    E no paralelo, para proteger os colaboradores e clientes durante a pandemia, a rede formou um Comitê de Prevenção, em março, e  passou a adotar medidas como: o afastamento de colaboradores que pertencem ao grupo de risco; liberação da maior parte dos colaboradores administrativos para jornada em esquema de home office; abertura em horário exclusivo para o atendimento de pessoas com mais de 60 anos; limitação de clientes nas lojas; distanciamento entre as filas; higienização de carrinhos e cestos; aplicação de álcool em gel nas mãos do clientes; fixação de placas de acrílico que servem como barreira entre cliente e operador de caixa; venda de álcool em gel a preço de custo; aferição de temperatura corporal de clientes e colaboradores, entre outras medidas. 

    Veja também