Já é possível observar uma grande mudança na jornada do consumidor. A aposta no cenário phygital está cada vez mais presente, na qual não existem mais barreiras entre o online e offline e a união entre o mundo físico e digital se tornou uma realidade. Hoje, a necessidade do cliente é que as entregas aconteçam no mesmo dia, se tornando um fator determinante para garantir que ele volte a consumir na loja futuramente. Por conta disso, uma grande disputa entre os grandes players vêm tomando conta do mercado e o setor está cada vez mais aquecido.

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm), em 2020, mais de 150 mil novas lojas virtuais foram abertas e 13 milhões de brasileiros fizeram uma compra online pela primeira vez, gerando um crescimento de 41% no ano. Essa aceleração nas vendas por meio dos canais digitais fortaleceu ainda mais os grandes marketplaces, que foram responsáveis por 78% do faturamento do e-commerce no Brasil. As expectativas para 2021 continuam altas e o faturamento do comércio eletrônico deve chegar aos R$ 110 bilhões, de acordo com a projeção da Ebit/Nielsen, o que representará um aumento de 21% com relação ao ano anterior.

Com todo esse crescimento, se faz necessário a utilização de centros de distribuição, que são responsáveis por facilitar a gestão de estoques. Além dessa vantagem, esse tipo de estrutura também ajuda na redução de custos, facilita o acesso a pontos de venda de todos os portes, agilizando a entrada e saída dos produtos. Elas são essenciais para a melhoria do atendimento ao cliente, alcançando a expectativa de entregas mais rápidas.

Apenas neste ano já observamos grandes nomes do varejo, como Magazine Luiza e Mercado Livre, ampliando suas áreas logísticas e inserindo novos centros de distribuição em diversos estados brasileiros. A preocupação é de se manterem competitivos, oferecendo mais opções aos clientes. Para aqueles que ainda não pensam nesse formato, se faz necessário buscar soluções que também dão maior facilidade de entrega, por exemplo, plataformas de cotação e geração de fretes são ótimas opções para quem vende pela internet.

Por fim, acredito que o mercado está em uma constante evolução e é imprescindível se manter atualizado. Inserir novas tecnologias e contar com redes de distribuição e logística te colocarão um passo à frente de quem ainda não se modernizou. O setor varejista cresce todos os dias e quem não acompanhar toda essa trajetória, ficará para trás. Pesquise e se mantenha competitivo!

Éder Medeiros é CEO do Melhor Envio, plataforma de cotação e geração de fretes que oferece condições mais competitivas para quem vende pela internet.

Créditos da imagem: iStock