Notícia 16:50 - 11 de julho de 2019

O volume de vendas do varejo caiu 0,1% em maio, em comparação com abril, configurando o segundo decréscimo mensal seguido, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (11/07). A pesquisa também constatou que, na relação com maio do ano passado, houve alta de 1% nas vendas, o que indica um acúmulo de 0,7% nos cinco primeiros meses de 2019.

Apesar de estar no positivo, o número reflete a estagnação da economia. “O indicador acumulado em 12 meses começou a se recuperar em outubro de 2016, quando estava em -6,8%, e chegou a 3,7% em maio de 2018. Desde então, ele vem perdendo fôlego”, explica a gerente do estudo, Isabella Nunes.

De acordo com Isabella, este ano é como se não tivesse começado para o varejo, devido ao alto nível de incerteza dos empresários quanto a investimentos futuros e à cautela do consumidor diante de um mercado de trabalho que vem evoluindo, mas de forma lenta e gradual e com entrada forte de trabalhadores na informalidade, conforme informado pelo G1.

Pesquisa em detalhe

Das oito atividades pesquisadas, seis registraram alta na passagem de abril para maio. Os segmentos que pressionaram a queda do resultado foram artigos de uso pessoal e doméstico (-1,4%), que abrange as vendas pela internet, e combustíveis e lubrificantes (-0,8%). Por outro lado, o setor de hipermercados e supermercados, que tem o maior peso na pesquisa – em torno de 50% do índice -, cresce 1,4%, após retração de 3,5% entre fevereiro e abril.

Regionalmente, 16 das 27 unidades federativas registraram alta no volume das vendas, com destaque para o Amapá (8,1%). Entre os estados que apresentaram maiores quedas estão Minas Gerais (-1,5%), Roraima e Rio de Janeiro (ambos com -1,4%).


Veja também