Notícia 17:06 - 15 de abril de 2020

A ideia de implantar as etiquetas eletrônicas da Pricer foi da rede de supermercados baiana Hiperideal, que contou com a ajuda da Toledo do Brasil, empresa de tecnologia na área de pesagem e gerenciamento de informações, para instalá-las.

“O processo anterior, utilizando etiquetas em papel, envolvia várias etapas, muito trabalho manual e maior tempo gasto. Com a troca pelas etiquetas eletrônicas, a precificação foi toda automatizada, ficando livre de falhas humanas. Isso trouxe maior confiabilidade para o cliente e até para os próprios órgãos fiscalizadores, como o Procon, cientes de que dificilmente vão encontrar erros ou falhas nas operações das lojas”, explica Renata Pisani, gerente de TI do Hiperideal.

O uso das etiquetas eletrônicas também ajudou a resolver o problema que havia na fiscalização, referente à divergência de informação de preço entre a gôndola e o checkout. “Hoje, como o processo adotado é sistêmico, as atualizações dos preços nas gôndolas acontecem ao mesmo tempo que na frente da loja, ou seja, a informação é precisa”, completa Pisani.

Além desses benefícios, Daniel Carioni, da coordenação de Análise de Produtos da Toledo do Brasil, lembra que as etiquetas eletrônicas também auxiliam na crescente necessidade de flexibilidade de preços, na precisão das trocas nas prateleiras, nos ganhos de vantagens competitivas em produtos específicos, no gerenciamento centralizado dos preços, na maximização das margens com as trocas instantâneas de preços com compensação de promoções, entre outros benefícios.

“As etiquetas são atualizadas via comunicação óptica. Então, toda vez que o PDV (caixa) é atualizado, o software das etiquetas dispara uma carga de atualização. Ou seja, estamos falando de algo em torno de 3.000 etiquetas atualizadas por minuto, ou de 12.000 produtos em uma loja. Sendo assim, conseguimos atualizar o preço de todos os produtos da loja, em menos de cinco minutos”, destaca Carioni.

As etiquetas eletrônicas também podem ser oferecidas como mais uma opção de serviços para os clientes, já que por meio delas, eles chegam no totem do local, digitam o nome do produto que buscam, e em segundos o sistema o localiza, indicando o lugar no mapa da loja.

Além dos supermercados, as etiquetas podem ser utilizadas por outros segmentos como: hospitais, almoxarifados de fábricas, açougues, lojas de conveniência, farmácias, entre outros.

 

 

 


Veja também