Notícia 12:07 - 15 de dezembro de 2020

Como forma de atuar para que o trágico episódio ocorrido com João Alberto não caia no esquecimento, o Carrefour Brasil reuniu as propostas do seu Comitê Externo Independente, no dia 25 de novembro, para elaborar um plano de ação de curto, médio e longo prazo, e reforçar o seu compromisso com a valorização da diversidade, com ênfase na inclusão de negros e negras e no combate à discriminação.

O plano é abrangente e reúne três esferas principais: Interna, envolvendo todos os seus colaboradores; Ecossistema, incluindo os parceiros e fornecedores da rede, e Externa, com toda a sociedade.

Ao todo serão oito compromissos para combater o racismo estrutural em um País em que 56% da população se autodeclara negra. São eles:
 

1) Política de Tolerância Zero

O primeiro compromisso estabelecido determina que a empresa revise, até o fim do próximo mês, a sua política de Valorização da Diversidade, enfatizando o tratamento rigoroso dos casos de discriminação e racismo por parte de seus colaboradores, clientes e fornecedores. Neste caso, a base será o diálogo com especialistas, entidades e movimentos negros, para que auxiliem a empresa na revisão de suas políticas internas e externas. As medidas antidiscriminatórias incluem mudanças na gestão e na governança, como por exemplo: a instituição de medidas preventivas e sancionatórias contra práticas de racismo e outras formas de discriminação estabelecidas de modo claro, transparente e postas para o conhecimento público; a adoção de práticas de governança que reforcem o controle e responsabilização por parte da alta direção da empresa, e a implementação de programas de educação e formação antirracista de caráter permanente para colaboradores.

Até janeiro/21 também será adotada a cláusula antirracista e de combate a todo tipo de discriminação, em todos os contratos que o Carrefour Brasil possuir com os seus fornecedores.

2) Modelo de segurança

Seguindo o anúncio feito no dia 4 de dezembro, o Carrefour adotou o compromisso de internalizar 100% da equipe de segurança que atua dentro de suas lojas, iniciando esta semana um projeto piloto, em quatro unidades do Rio Grande do Sul. O objetivo é ter essa internalização implementada em toda a rede, até o fim de outubro de 2021, dependendo dos resultados deste piloto. Estes profissionais terão perfil e abordagem ressignificados, com ênfase no apoio, na orientação e acolhimento dos clientes. Além disso, os profissionais responsáveis pela segurança externa da loja, que cumprem requisitos legais com chancela da Polícia Federal, receberão o treinamento antirracismo para estarem alinhados às políticas da empresa. O Carrefour reitera que os profissionais de segurança de loja contratados seguirão a representatividade da população brasileira, na qual aproximadamente 50% será de mulheres e negros.

3) Divulgação e Capacitação sobre Política de Tolerância Zero

Até o fim do próximo mês, o Carrefour irá lançar um hotsite para que todas as suas ações também possam ser acompanhadas pela sociedade. Além de prestar contas, ele será um canal de diálogo com entidades e movimentos que lutam pela causa e conscientização, além de ser um espaço para a publicação de editais e campanhas sobre a temática.

Todos os colaboradores serão treinados em uma trilha de diversidade, inclusão e combate ao racismo e à discriminação, tendo como eixo interseccional a etnia, tratando também de pautas LGBT+, PCD (Pessoas Com Deficiência), entre outras. Até o fim de fevereiro de 2021, serão iniciadas as campanhas com o tema de combate ao racismo, como forma de contribuir para a conscientização da população brasileira. E será criado, até o fim de junho de 2021, um Fórum Virtual educativo sobre o combate ao racismo e a todo tipo de discriminação, aberto a todos os brasileiros.

4) Carreira de Pessoas Negras

A maioria dos profissionais brasileiros possuem chefes brancos. Segundo a pesquisa do Instituto Locomotiva, somente 10% dos chefes são pretos. Diante deste cenário, o Carrefour pretende garantir, até dezembro de 2021, o desenvolvimento e a capacitação de 100 pessoas negras e negros, por ano, como forma de alavancar as carreiras, com foco em posição de lideranças e posições críticas para a organização, incluindo apoio psicológico e emocional, aceleração de conhecimento (graduação, MBA, idiomas etc.) e mentoria. Outro ponto a ser adotado, até o fim de março de 2021, é a revisão das metas de inclusão de negros nos níveis de liderança, do sistema de avaliação de desempenho - incluindo potencial e competências -, e da política de promoção e mérito, de forma a tornar mais justas as oportunidades de crescimento.

5) Investimento Social Privado

O Grupo se compromete a investir em ações de impacto na sociedade. Por isso, até fevereiro de 2021, ele pretende abrir editais, com foco na educação, empregabilidade e empreendedorismo de pessoas negras, e abrange o financiamento de cursos técnicos e acadêmicos (graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado e intercâmbio) nas áreas de Tecnologia e Gastronomia, para a formação de profissionais no mercado de trabalho. A rede atuará no fomento de Projetos Sociais de empreendedores negros, nas áreas da alimentação em zonas rurais e/ou urbanas e tecnologia, e na criação de ações de voluntariado com as comunidades do entorno de suas lojas, previstas para o primeiro semestre de 2021.

6) Contratação de Pessoas Negras

O Carrefour se compromete a contratar profissionais negros e negras para posições estratégicas, além de admitir anualmente cerca de 20.000 colaboradores (as) negros (as) em parceria com as associações e profissionais de RH, inseridos nas comunidades onde a empresa está presente. Até o fim de agosto de 2021, será criado um programa específico de estágio e outro de trainee para negros e negras, a fim de fomentar os quadros de liderança da companhia.

7) Dispositivos Digitais de Segurança

Outra medida que será implementada, no primeiro trimestre de 2021, é a criação de um Canal de Ouvidoria, com foco no combate ao racismo e a todo tipo de discriminação. O objetivo é ter este espaço para que os clientes possam, facilmente, denunciar casos dentro das lojas. Após o recebimento da denúncia, imediatamente uma equipe dedicada iniciará a apuração para tomar as medidas necessárias, como forma de impedir que situações parecidas se repitam. Em paralelo, o Carrefour também vai reforçar o seu Canal de Denúncias para os colaboradores, com atendimento específico para discriminação. Os sites, aplicativos e lojas do Carrefour contarão com um dispositivo para apoiar as pessoas que estão sofrendo qualquer tipo de preconceito e violência relacionado à raça ou ao gênero.

8) Aceleradora de Empreendedorismo Negro

Como as oportunidades para empreendedores (as) negros e negras ainda são bem menores, em comparação ao restante da população, no primeiro trimestre de 2021, o Carrefour criará um Programa de Inclusão desses empreendedores em sua cadeia de valor, em parceria com entidades e organizações intermediárias negras.

Também haverá um investimento em recursos financeiros, destinados às redes incubadoras e aceleradoras negras, nas cadeias produtivas de gastronomia, rural e de tecnologia, começando pelo projeto-piloto no estado do Rio Grande do Sul. Além disso, será disponibilizado um marketplace digital e físico para divulgar a rede de empreendedores negros de cada região, como forma de ampliar a atuação e fomentar o empreendedorismo local.

O Carrefour entende que estes compromissos adotados serão apenas o início de uma mudança que se faz necessária e pretende atuar firmemente para que o racismo institucional seja combatido todos os dias, para que negros e negras ocupem seus lugares e para que parceiros e fornecedores apoiem também essa causa.

Imagem de capa: iStock


Veja também