Notícia 15:55 - 29 de novembro de 2019

A Black Friday já entrou definitivamente no calendário de compras dos brasileiros, em especial no e-commerce, que possui mais de 930 mil lojas participantes. Nessas, o faturamento parcial da data, entre 00h01 e 8h59 de hoje (29/11), já ultrapassou a marca de um bilhão de reais. Neste horário, o valor acumulado estava em R$ 1.377.198.177, o que representa crescimento de 30,8% em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com pesquisa da Compre&Confie.

Durante esse período, foram realizados 2.305.587 pedidos via internet, um aumento de 28,7% ante 2018. O monitoramento ainda indica um tíquete médio de R$ 597,33 entre os compradores online, um valor 1,7% maior do que o de 2018.

Crédito: https://www.blackfridayhorahora.com.br/horahora

Plataforma que contabiliza, em tempo real, os números da Black Friday

 

“O comportamento de compra até o momento está alinhando com a previsão do Compre&Confie para a Black Friday 2019, com forte crescimento no volume de pedidos e pequena variação positiva do tíquete médio, sendo este comportamento reflexo dos preços baixos praticados pelas lojas, somados ao controle da inflação no país”, analisa o diretor executivo, André Dias.

E as promoções?

As condições de compra neste ano também estão melhores. Segundo levantamento feito pela Big Data Corp., a pedido do Paypal, o desconto médio nas quatro semanas que antecederam a Black Friday foi de 42,59%, enquanto em 2018 esse índice foi de 26,7%, e, em 2017, bateu os 43%. Esse movimento pode ser explicado pelo melhor cenário econômico atual, com mais confiança entre os consumidores e juros mais baixos.

Além disso, a maioria dos e-commerces (mais de 70,45%) já havia aderido à febre da Black Friday quatro semanas antes do evento em si. Assim, os preços ficaram bem abaixo dos normais, abrindo oportunidades reais para os consumidores anteciparem algumas compras de Natal.

Duas semanas antes da Black Friday, os descontos deste ano bateram a faixa de 10,58% (contra 3,9% no ano passado e 12% em 2017); uma semana antes da data, os descontos avançaram para 22,36% (contra 9,6% em 2018 e 12,3% em 2017).

Entre as categorias com os maiores descontos, destacam-se livros, músicas e filmes (61,32%), seguidos por brinquedos (51,32%), eletrônicos (49,78%), roupas e acessórios (33,77%) e cosméticos (21,12%).

E quanto às fraudes?

De acordo com a ClearSale, empresa especializada em antifraude, o valor de fraudes evitadas das 00h01 até às 7h59 de hoje (29/11) é de R$ 9.600.096,00.

Diante do bom resultado, o diretor de soluções da companhia, Omar Jarouche, já considera esta edição da Black Friday uma de sucesso. “O valor de fraudes evitadas está em linha com o que já prevíamos e acreditamos que a tendência deve ser mantida ao longo do dia”, destaca.

Veja também:

Classes mais baixas movimentam a Black Friday

Seis tendências para o varejo brasileiro em 2020

Carrefour realizará Black Friday omnicanal


Veja também