Notícia 22:58 - 25 de março de 2020

Não é porque o consumidor está com a locomoção mais restrita por causa do coronavírus, que os preços de alguns queijos e leites precisam aumentar abusivamente. E foi por conta disso que a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS) decidiu levar a questão ao Ministério da Justiça, para que as providências sejam tomadas.

“O setor supermercadista tem trabalhado incansavelmente para manter o equilibro nas relações de consumo, mesmo diante da pandemia que se aproxima”, afirma a associação em nota.

De acordo com o levantamento realizado pela APAS (Associação Paulista de Supermercados) nos supermercados de São Paulo, no dia 24 de março foi percebido o aumento nos preços de alguns itens, como por exemplo o leite longa vida, com alta de 54% e sem disponibilidade para compra. Tanto a APAS, quanto a ABRAS e o Senacon (Secretaria Nacional do Consumidor) estão realizando um trabalho em conjunto para que sejam evitadas as práticas abusivas durante esse período de pandemia.

A Senacon já notificou a Associação Brasileira da Indústria de Lácteos Longa Vida (ABLV) e a Associação Brasileira da Indústria do Queijo (ABIQ) para que, no prazo de cinco dias (contado a partir do dia 25 de março), ambas prestem esclarecimentos a respeito da política de aumento dos preços, no período da pandemia do coronavírus no Brasil.

Imagem de capa: Pixabay

 


Veja também