Vendas nos supermercados fecham 2017 em alta

Vendas nos supermercados fecham 2017 em alta

Após dois anos de retração consecutiva no faturamento, os empresários supermercadistas puderam observar ligeira retomada de crescimento do setor. Segundo dados divulgados pela Associação Paulista de Supermercados (APAS), o faturamento real dos supermercados no estado de São Paulo no último ano, deflacionado pelo IPS – APAS/FIPE), no conceito de mesmas lojas, ou seja, lojas que estão em operação no tempo mínimo de 12 meses, apontou crescimento de 2,08% ante 2016.

Já no conceito de todas as lojas, que considera todas as unidades criadas no período pesquisado, a alta no acumulado de 2017 foi ainda maior e chegou a 5,01%. O mês de dezembro apresentou crescimento de 7,04% em relação ao ano de 2016, resultado positivo, visto que para o mesmo mês de 2016 o resultado foi de retração: 2,08%.

Ainda segundo o estudo, outro ponto de destaque foram as vendas no mês de dezembro. “Em um cenário mais otimista, a Associação projetava um crescimento de 2,5% no último mês de 2017. O empenho se mostrou superior, com aumento nas vendas na ordem de 3%”, comentou o economista da APAS, Thiago Berka.

O Faturamento Nominal dos Supermercados no estado de São Paulo, no acumulado de janeiro até dezembro do último ano, registrou alta de 2,50% no conceito de mesmas lojas. Já no conceito de todas as lojas, a alta foi de 5,41% no acumulado do ano.

Tradicionalmente o mês de dezembro é o melhor para o setor supermercadista em volume de vendas e faturamento. No último mês de 2017, o ticket médio aumentou 2,67% no comparativo com o último ano, enquanto o volume de vendas aumentou 1,4%, o que significa que o consumidor comprou produtos de maior valor.

“O consumidor buscou não aumentar muito a cesta de produtos, porém, fez uma seleção de itens de maior valor agregado, pois, em dezembro nos supermercados, houve inflação de 0,27%, em São Paulo de acordo com o indicador IPS, medido pela APAS/FIPE”, explicou Berka.

Outro ponto que demonstrou bom desempenho em dezembro foi a melhoria da produtividade. “Tanto os índices de faturamento por checkout e por metro quadrado aumentaram, 2% e 3,3%, respectivamente, permitindo manter políticas de preço competitivas como foi uma constante nos últimos três meses do ano”, concluiu o economista.


menu
menu