Vendas dos supermercados crescem 4% na Páscoa

Vendas dos supermercados crescem 4% na Páscoa

Segunda data mais importante para o setor supermercadista, a Páscoa de 2018 trouxe bons números. Os resultados de vendas para o período ficaram dentro da expectativa da Associação Paulista de Supermercados (APAS) e cresceram 4% em relação a 2017.

“Este é um resultado bastante positivo por retomar um crescimento, ainda que modesto, para uma data tão importante. Atingimos nossa expectativa, o que nos deixa otimistas para o restante do ano”, explicou o economista da APAS, Thiago Berka.

Em pesquisa realizada pela Associação, 23% dos empresários reportaram crescimento de 2% a 4%; outros 23% informou aumento de 4 a 6%, portanto quase metade dos supermercados ficou na média de 4%. Outros 15% dos supermercados apresentaram crescimento de até 8%. Por último, 7% que disse que teve até 2% de aumento nas vendas.

Os ovos de Páscoa, símbolos desta data, também tiveram crescimento na casa de 4%. Os que mais venderam foram os que tinham menos peso líquido, liderados pelos ovos de 150 g. “Este aumento na venda dos ovos de chocolate foi um bom sinal, pois foi a categoria que mais sofreu na Páscoa durante a crise. Com a melhor preparação do varejo alimentar para a data (menos encomendas de ovos e sortimento de menor do tamanho deles) permitiu que a categoria voltasse a performar melhor”, avaliou Berka.

Com a mudança no hábito de consumo do brasileiro, dois itens que se destacam bastante durante o período da Páscoa são as caixas de bombom e as barras de chocolate. Estes produtos tiveram um aumento de vendas na casa dos 5%, o que, para o economista, demonstra como a migração para estes produtos, por parte dos consumidores, foi realmente forte.

Como muitos brasileiros não comem carne no período da quaresma, cresceu muito a procura por pescados, que foram os grandes destaques das vendas na Páscoa, principalmente bacalhau, camarão, cação, merluza e salmão. O crescimento de venda ficou na casa de 6%.

“O desempenho do período de Páscoa nos supermercados foi dentro das projeções da APAS com destaque para os pescados, principalmente por conta da tradição de não comer carne na quaresma ou na sexta-feira Santa. Isso mostra que as influenciam o comportamento de compra das pessoas de forma bastante transparente”, finalizou Berka.


menu
menu