Varejo paulista projeta crescimento de 4,5% em vendas de voltas às aulas

Varejo paulista projeta crescimento de 4,5% em vendas de voltas às aulas

As vendas para o início do ano relacionadas a Volta às Aulas podem crescer em média 4,5%, de acordo com a expectativa de vendas, realizada pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP). Ainda segundo os dados da pesquisa, os lojistas estão avaliando que o tíquete médio seja de R$ 100 e R$ 200.

“A projeção para o crescimento da economia este ano é positiva. Segundo informações do Banco Central, há uma expectativa de 2,4% de aumento. Isso retrata um cenário otimista para os lojistas, principalmente neste período de volta às aulas, pois é gerado um número maior nas vendas para este setor”, afirmou o presidente da FCDLESP, Mauricio Stainoff.

As vendas de volta às aulas começam a refletir no mercado varejista. Deste modo, as informações coletadas, com base na análise de dados de algumas CDLs de São Paulo, mostram um ponta pé inicial para o crescimento da economia do país.

Em contrapartida, segundo Stainoff, o varejo deve atentar-se com o excesso de contas no começo do ano, como IPVA, IPTU e outras despesas, que devem ser levadas em consideração devido ao aperto no orçamento.

Além das compras em lojas físicas, o e-commerce pode ser considerado um aliado dos lojistas no ato do fechamento da compra, pelo fato de estar sempre ao alcance dos consumidores, ser uma ferramenta de fácil acesso, e oferecer comodidade nas formas de pagamento, como paypal, boleto bancário, transferência bancária e cartões de crédito e débito.

Os comerciantes avaliam que as melhores estratégias a serem adotadas para aumentar o número de materiais escolares são: promoções relâmpagos, crediário e a utilização do marketing nas redes sociais.

Já nos supermercados, itens como caderno, papel sulfite, canetas e agendas são bons exemplos de produtos que não podem faltar no período de volta às aulas, por serem muito procurados pelos consumidores nessa época.

É importante também realizar inovações no mix de produtos e na apresentação do sortimento na gôndola – além de trazer formatos diferentes, como os combos de produtos, que combinam alguns itens a preços atrativos para o consumidor.

Além disso, o supermercadista deve atentar-se com a sazonalidade, de modo a garantir ótimas vendas no período de volta às aulas, com bom sortimento, e ainda gerenciar a variedade e a competição com os varejistas segmentados da categoria de papelaria e materiais escolares.

Novidades são sempre bem-vindas ao consumidor e impulsionam o giro nas gôndolas. Bazar, segundo os varejistas, deve ser sinônimo de novidade; assim, a ideia é inovar e renovar o mix de produtos, sempre fazendo periodicamente um checklist e uma reciclagem, para não cansar o interesse do consumidor.


menu
menu