Uma noite bem dormida faz a diferença

Uma noite bem dormida faz a diferença

Quando falamos de saúde e bem-estar, automaticamente pensamos em exercícios físicos e alimentação saudável. Entretanto, existe um ponto crucial que muitas vezes é deixado de lado e não é discutido com tanta frequência: o sono.

O professor de educação física Diego Paladini e a instrutora de ioga Dafne Amaro, donos do canal no Youtube “Saúde na Rotina”, resolveram falar sobre o tema no livro Dá pra Ser Saudável sem Ser Chato. Em um bate-papo com a SuperVarejo, eles esclarecem algumas dúvidas e mostram de que forma o sono está relacionado à saúde.

SV: O que os motivou a escrever o livro?

DP: Há anos percebemos que as pessoas têm uma tendência a achar que são precisos muitos recursos

e muito tempo para cuidar da própria saúde. Queríamos mostrar que é possível fazer pequenas mudanças com um pouco de informação.

SV: Quando se trata de bons hábitos de saúde, o sono ainda é uma questão deixada de lado?

DP: Um sono ruim já está bem associado ao ganho de peso. Pessoas que descansam mal tendem a estar menos dispostas ao longo do dia e também a lançar mão de estratégias duvidosas para ganho de energia, como o consumo de energéticos e de cafeína, por exemplo. Quando a gente diz “duvidosas”, não se trata de questionar se, de fato, elas funcionam, mas de lembrar que o consumo excessivo desses itens traz efeitos colaterais indesejados, como problemas gastrointestinais e até cardíacos.

SV: A má qualidade do sono está vinculada a um motivo específico?

DP: Dormir bem é fundamental para uma boa saúde. Para ter uma vida saudável, é essencial entender que esse terço da vida que passamos dormindo tem uma função muito importante para o nosso organismo, tanto de reparação dos tecidos quanto de regulação hormonal.

SV: Como a correria do dia a dia afeta direta e indiretamente o sono?

DA: A ansiedade talvez seja o principal fator aí. Temos que dar conta de várias tarefas ao longo do dia e é normal irmos para a cama com preocupações relacionadas a coisas que temos que fazer ou que deixamos de concluir.

SV: Como hábitos relacionados à televisão e ao celular afetam a rotina do sono?

DA: Nas horas anteriores ao sono, é importante diminuir o contato dos nossos olhos com a luz. Isso ajuda o cérebro a entender que está chegando o momento de relaxar. Dormir com a TV ligada, para algumas pessoas, acaba não fazendo diferença, pois elas têm o sono muito pesado. Para outras, o barulho e a luminosidade do aparelho podem impedir um sono mais profundo, o que atrapalha o descanso.

SV: Praticar atividades físicas em excesso é prejudicial ao sono?

DP: Meu avô dizia que tudo que é demais, é muito. Atividade física, se feita com moderação, não atrapalha o sono. Pelo contrário, melhora. O que a gente costuma recomendar é evitar atividades muito intensas nas horas próximas de se deitar, para o corpo conseguir relaxar melhor quando estiver na cama.

SV: Existe alguma ligação entre comer de forma desregrada e a má qualidade do sono?

DP: Comer coisas muito gordurosas e cheias de açúcar vai exigir um trabalho maior do organismo na digestão. O ideal é ingerir comidas mais leves à noite, para o corpo focar no que precisamos no fim do dia, que é o descanso.

SV: Quais são as principais mudanças que as pessoas precisam adotar em suas rotinas caso percebam que necessitam de descanso?

DP: A vida saudável tem um tripé formado por atividades físicas, alimentação equilibrada e sono adequado. Se o sono não pode ser melhorado, cabe à pessoa fazer o melhor possível nos dois outros aspectos para ter uma vida legal. Sono de qualidade é insubstituível. Nada que você possa fazer acordado vai dar ao seu corpo o mesmo retorno de uma boa noite de sono.


menu
menu