Supermercados serão afetados pela nova tabela de fretes - SuperVarejo
Supermercados serão afetados pela nova tabela de fretes

Supermercados serão afetados pela nova tabela de fretes

Com o estabelecimento da tabela com preços mínimos para o transporte de cargas pelo governo, o setor supermercadista sofrerá impactos nos preços, segundo informou a Associação Paulista de Supermercados (APAS).

Os reflexos no autosserviço, porém, já vêm sendo observados há alguns dias. Com os novos preços, um dos setores que mais sentiram o novo acordo foi o de agronegócio, visto que a maior parte dos produtos necessita do transporte para chegar até os seus clientes. A safra de grãos, por exemplo, possui 61% de sua produção transportada pelas rodovias brasileiras, de acordo com a Confederação Nacional dos Transportes (CNT), conforme notícia divulgada pelo portal da SuperVarejo em 30 de maio.

Além disso, o abastecimento de carne de aves e suínos pode demorar até dois meses para voltar à normalidade, pelo fato da necessidade de sacrificar 64 milhões de aves adultas e pintinhos, devida a falta de condições minimamente aceitáveis de espaço e quantidade de ração, como havia informado a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Aliado a isto, com a alta do dólar, não só a produção nacional, mas também produtos importados ou que levem matéria-prima importada no processo de fabricação sofrerão impactos nos preços.

E em relação aos impactos no abastecimento de produtos no Brasil, também foi observada uma mudança no comportamento de consumo da população. No segmento de Supermercados e Hipermercados, por exemplo, houve aumento na receita de vendas de 23% entre os dias 23 e 24 de maio. Já no dia seguinte (25/05), o volume foi ainda maior, 52%. Esse avanço foi impactado de forma similar pelo crescimento tanto na quantidade de vendas quanto pelo gasto médio, que também tiveram as maiores altas na sexta-feira, conforme mostrou levantamento do Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA).

Sendo assim, todos os setores sentirão os reflexos das mudanças das últimas semanas. Segundo a APAS, apesar dos esforços dos supermercados, será impossível segurar o repasse de preços, cujos percentuais serão ajustados à medida que o setor receber as novas tabelas vindas dos produtores e da indústria.


menu
menu