Supermercados registram alta de 1,74% em vendas

Supermercados registram alta de 1,74% em vendas

O faturamento real dos supermercados no estado de São Paulo (deflacionado pelo IPS/FIPE) registrou crescimento de 1,74%, de janeiro a setembro de 2017, no comparativo com o mesmo período do ano anterior, no conceito de mesmas lojas (considerando as lojas em operação no tempo mínimo de 12 meses). As informações são do indicador divulgado pela APAS (Associação Paulista de Supermercados).

“Em 2017 a recuperação começou em junho, quando alcançou 0,39% em melhoria nas vendas e, desde então, foram quatro aumentos seguidos”, relatou o economista da APAS, Rodrigo Mariano. “Especificamente no comparativo entre setembro de 2017 e o mesmo mês do ano anterior, houve significativo aumento de 7,86%”, completou.

No conceito de todas as lojas, que consideram todas as lojas criadas no período pesquisado, houve acréscimo de 4,74% no acumulado de janeiro a setembro deste ano, no comparativo com o mesmo período de 2016. Levando em consideração somente o mês de setembro de 2017, houve alta de 10,74% em relação ao mesmo mês do ano anterior, e alta de 3,24% ante a agosto de 2017.

Depois de sofrer 11 quedas consecutivas, o Índice de Vendas em Supermercados (IVS) em setembro alcançou 0,49% no acumulado em 12 meses nas mesmas lojas, indicando que o trimestre final deste ano será superior ao do ano passado.

“Diante destes dados, vemos que as vendas dos supermercados estão respondendo ao cenário econômico melhor que o de 2016. Algumas das causas podem ser a queda do desemprego, que desde o primeiro trimestre caiu de 13,7% para 12,6%;  os  juros, que caíram de 13% em janeiro de 2017 para 7,5% em outubro; o endividamento das famílias, que vai amplificando-se, permitindo mais espaço para consumo; e a inflação medida pela APAS/FIPE, que atingiu o segundo recorde desde 1994 em queda acumulada na ordem de 2,90% para setembro”, avaliou Mariano.

De acordo com as estimativas da APAS, caso não haja deterioração do cenário político atual e se mantenham constantes as variáveis econômicas, o Natal de 2017 promete ser bem melhor que os de 2015 e 2016, com aumento de 1,5% a 2% na comparação anual, conforme nota divulgada pela SuperVarejo. Para saber mais clique aqui.


menu
menu