“Super Hack – Hackeando o Supermercado” será o tema da APAS Show 2019 - SuperVarejo
“Super Hack – Hackeando o Supermercado” será o tema da APAS Show 2019

“Super Hack – Hackeando o Supermercado” será o tema da APAS Show 2019

Por Nathalie Gutierres

Na manhã desta quinta-feira, 26 de julho, o Première APAS Show 2019 reuniu, na zona sul da capital paulista, profissionais da indústria e do setor varejista para apresentar o tema da próxima edição do maior evento supermercadista do mundo, que será: “Super Hack – Hackeando o Supermercado”.

“Vivemos a quarta revolução industrial, que muda a nossa forma de criar e produzir. E a APAS Show vai mostrar os próximos passos disso, o desafio de hackear o supermercado, além de formas como motivar o setor a se reinventar”, disse o responsável pela divisão de marketing e negócios da APAS, Fabiano Benedetti.

O presidente da entidade, Pedro Celso Gonçalves, falou sobre o processo da definição do assunto, que norteia toda a concepção do evento. “O tema que escolhemos é tecnológico, moderno, atual, e, como todos os anos, foi muito bem elaborado, de forma a estar de acordo com as tendências do nosso setor”, afirmou.

E o diretor da APAS Show, Erlon Ortega, abordou a importância do evento no calendário de todos aqueles envolvidos com o setor supermercadista. “A APAS Show é mais que feira e congresso, pois mostra toda a força do abastecimento do país”, pontuou.

Ao apresentar dados apurados na edição deste ano, Ortega destacou pontos de grande relevância, que comprovam a magnitude do evento. Entre eles, estão: 80% dos expositores ficaram satisfeitos e 83% dos visitantes fizeram mais negócios que em outras feiras.

Tema em debate

Como a tecnologia vai entoar a próxima edição da APAS Show, o Première contou com palestras que mostraram as tendências de mercado e as inovações que já são realidade em alguns segmentos. Nas apresentações, ficou claro que é preciso entender as transformações do mundo atual, que são constantes, e que muitas das previsões estimadas para um futuro longínquo, podem ocorrer em breve.

“As barreiras do físico e do digital estão caindo, mas elas não estão se convergindo e sim se atravessando. Não é mais possível dizer o que é online e o que é off-line. Em dez anos, não teremos isso e sim realidades estendidas, um conjunto de realidades, se contextualizando, por exemplo, um objeto virtual em um ambiente físico”, explicou o futurista Jacques Barcia.

A forma de fazer propaganda também será alterada diante desse cenário, explicou Barcia, dizendo que isso já ocorre. Ele contou que já há no mercado uma startup que desenvolveu um sistema que, ao posicionar o smartphone em um rótulo de vinho, uma história é contada, o que instiga o shopper a comprar.

“Dessa forma, a propaganda não está na TV e sim no próprio produto. E o que acontece quando o produto deixa de ser apenas um produto e é gatilho para promoções?”, levantou a questão, mostrando que tanto a indústria como o varejo precisarão repensar a forma de trabalhar.

Formada em Física e em Economia pela USP e tendo no currículo passagens pela ONU e pela Nasa, Anielle Guedes seguiu a linha de Barcia e afirmou que as tecnologias disruptivas podem contribuir para aumentar a performance, a velocidade e direcionar as empresas para um crescimento exponencial. “Nosso mercado é competitivo e a transformação digital é o caminho para fazer com que nosso negócio sobreviva em um futuro incerto”, alertou.

Para conferir o vídeo de cobertura do evento, clique aqui.


menu
menu