Sucesso no DNA

Sucesso no DNA

por Nathalie Gutierres

Com quase 50 anos marcando presença no segmento varejista, o Sonda Supermercados traduz uma história que mescla família e negócios. Ou, melhor, mostra a vocação para o comércio de dois irmãos que, com muito trabalho e determinação, construíram uma rede que soma, atualmente, 41 lojas e se destaca no top 10 de maiores supermercados do país.

Os irmãos protagonistas desta narrativa são os gaúchos Delcir e Idi Sonda, que atualmente têm 70 e 74 anos, respectivamente, dois filhos de um total de oito (cinco homens e três mulheres), em uma família de origem italiana. Foi em Erval Grande, no interior sul-rio-grandense, que hoje conta com cerca de 5.100 habitantes, onde tudo começou.

“Nascemos na vila Sete de Setembro, que é um distrito de Erval Grande, em uma região que contava com apenas dez casas naquela época. Foi lá que partimos para o comércio”, relembra Delcir, ao contar como foi o começo dos Sonda no varejo.

O negócio era um comércio de secos e molhados, iniciado em 1962 pelo patriarca da família, Andrea Sonda. De olho na economia da região, que na época se movia em torno da agricultura de feijão, o pai deles se dedicou a comercializar as safras, junto de quatro de seus filhos (incluindo Idi e Delcir). Logo identificou a oportunidade de abastecer as famílias dos agricultores, com a venda de itens como açúcar, sal, farinha de trigo, entre outros.

Quatro anos mais tarde, a família se mudou para Erechim, também no Rio Grande do Sul, e abriu a primeira filial do comércio. Foi lá que o pai transferiu o negócio para os herdeiros. Em 1968, os irmãos começavam a explorar outros mercados, transportando feijão por meio de caminhão para Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro. Eles faziam viagens de caminhões carregados de cereais para as capitais e voltavam para Erechim com açúcar e outros produtos.

Foi assim que, no final dos anos 1960, os irmãos começaram a escrever a história deles na capital paulista. “A minha chegada a São Paulo foi em 27 de dezembro de 1970, mas meu irmão chegou em 1969”, lembra Delcir, informando que, naquele tempo, eles eram os maiores atacadistas de feijão do Brasil.

No ano em que Delcir seguiu para São Paulo, os irmãos abriram na cidade, no bairro do Brás, na região conhecida como Zona Cerealista, a primeira filial do comércio iniciado no Rio Grande do Sul. Em 1973, era inaugurada a segunda filial atacadista na cidade.

Passo seguinte: supermercados

Mesmo com os trabalhos em São Paulo, os investimentos no estado de origem da família não ficaram de lado, pois o mais velho dos irmãos havia permanecido no Rio Grande do Sul. Foi assim que, em 1974, os Sonda inauguraram, em Erechim, o primeiro supermercado da rede.

“Era uma loja muito bonita, porque nós tivemos a escola do Zaffari, pois um dos meus irmãos se casou com uma filha do sr. Francisco, fundador da rede”, conta Delcir, ao mencionar que a história do Sonda se cruza com a de outra importante rede supermercadista do país.

Seis anos mais tarde, o Sonda dava início ao setor supermercadista na zona Norte da capital paulista, mais precisamente no bairro do Jaçanã. Era a abertura da primeira loja no formato em São Paulo, uma operação moderna para os padrões da época, com 3.170 metros quadrados de área.

Contudo, a expansão da rede não ocorreu rapidamente, como recorda Delcir. “Demoramos muito para abrir a segunda loja. Só fomos inaugurá-la nos anos 1990. Era um período de inflação alta e meus irmãos eram muito inseguros, muito presos. Eu era mais atirado porque estudei, fui o único a terminar a faculdade”, conta ele, que é formado em Economia. 

Em 1992, a companhia inaugurava os primeiros hipermercados da rede, sendo um no Master Sonda Shopping, no Sul, e outro no bairro de Perdizes, com uma área de 7.000 metros quadrados no então Shopping Center Matarazzo, que foi o primeiro centro de compras nessa região da zona Oeste de São Paulo.

Da fatalidade ao recomeço

Nas primeiras duas décadas do Sonda, além de Idi e Delcir, Alcides e Vilamir, outros dois irmãos, formavam o quadro de sócios da companhia. Porém, vítima da violência urbana, Vilamir faleceu em um assalto à mão armada em maio de 1994.

Com essa fatalidade, a viúva de Vilamir e seus filhos deram continuidade à parte que correspondia a ele na empresa por aproximadamente três anos, quando a sociedade resolveu fazer a divisão. Com a cisão, Alcides ficou com as lojas de Erechim e com a marca Master, a viúva e seus filhos com os imóveis da empresa localizados em Guarulhos (SP) e Idi e Delcir com as lojas de São Paulo, a marca Sonda e a participação no Shopping Jardim Anália Franco.

Naquele momento, Idi e Delcir repensaram se dariam continuidade ao negócio e resolveram fazer um levantamento no mercado. “Chamamos uma agência e convidamos 150 pessoas de várias regiões para saber como os clientes enxergavam nossa marca. Os clientes diziam que a loja era boa, que gostavam do atendimento, mas que não tinha unidade no bairro deles”, conta Delcir ao lembrar que, para explorar o potencial que tinham em mãos, era preciso expandir a rede.

Idi e Delcir formaram, então, uma nova sociedade, ficando cada um com 50% de capital, e deram início à nova fase do Sonda, marcada também pela contratação de funcionários para profissionalizar a companhia. A partir daí, a empresa só evoluiu.

Logo que passaram a conduzir sozinhos o negócio de supermercado, os irmãos compraram terrenos e investiram em novas operações. Em 1998, inauguraram três lojas, sendo uma na zona Norte e duas na zona Sul de São Paulo. Desde então, não pararam mais.

De lá para cá, houve abertura de loja quase anualmente, quando não mais de uma unidade por ano. Nesse ínterim, a rede foi direcionando o foco de acordo com as tendências de mercado (em 2004, deu início ao Sonda Delivery) e se estruturando para um crescimento sólido, a exemplo da abertura do Centro de Distribuição, em São Bernardo do Campo, em 2006.

A mais recente unidade, a de número 41, foi inaugurada no início de abril deste ano, em São Caetano do Sul (SP), e há a previsão de abertura de pelo menos três unidades até o final de 2018, sendo uma em São Bernardo do Campo (no Grande ABC, São Paulo) e duas na zona Sul da capital paulista. Além disso, a rede investirá em um empreendimento imobiliário, um complexo que abrigará um supermercado e torres residenciais e empresariais, em São Caetano do Sul (SP).

Perguntado se pensava que a rede se tornaria um negócio tão grande como é hoje, Delcir não titubeia na resposta. “Eu imaginava, sim, porque vivo loja e é preciso viver o dia a dia do supermercado. O que eu faço no sábado e no domingo? Estou vendo loja. Quando estou no supermercado, estou falando com a consumidora”, afirma.

Ele faz um bom resumo do êxito alcançado nessa trajetória que confunde vida pessoal e profissional. “O sucesso é a união dos nossos funcionários, é a entrega de cada um deles. Quando um colaborador começa a trabalhar com a gente, ele entra para uma família, esse é o nosso slogan”, sintetiza Delcir, mostrando que a descendência de dois irmãos, hoje, soma uma família de mais de nove mil colaboradores e que não para de crescer.


menu
menu