Soluções simples para operações complexas

Soluções simples para operações complexas

O momento desafiante que nosso país percorre acirra ainda mais a concorrência em setores altamente competitivos, como o varejo. Isso faz com que as empresas busquem novas estratégias e práticas de gestão para melhorar sua eficiência e oferecer um melhor atendimento aos clientes (tanto em experiência de compra quanto em sortimento de produtos).

Nesse contexto, a logística exerce papel fundamental. Como exemplo, podemos citar um cliente cujo desafio era aumentar o sortimento de produtos nas lojas sem comprometer a disponibilidade de espaço. Foi necessário reduzir o estoque em loja e, para evitar a ruptura, aumentar a frequência de entrega (mais de 70% das lojas passaram a receber entregas diárias de mercadorias). Essa realidade aumentou a complexidade da operação dos centros de distribuição: maior quantidade de SKUs (unidades de manutenção de estoque), maior giro do estoque, menos tempo de separação dos pedidos, maior movimentação de mercadorias, entre outros. Tais fatores tendem a aumentar as perdas de mercadorias, tornando a gestão da ocupação do CD (Centro de Distribuição) um desafio à parte (mudança no tamanho dos lotes de compra gera necessidades de ajustes dos tamanhos dos endereços –estrutura porta-pallet), assim como a manutenção da acurácia dos estoques.

Nesse cenário, é fundamental utilizar práticas de gestão “cirúrgicas” na operação de um Centro de Distribuição. Não adianta sofisticar de- mais. O foco tem que ser aquilo que é simples e efetivo:

É importante destacar que as práticas apresentadas ajudam, também, a prevenir e a controlar outros dois grandes vilões da eficiência: o turnover e o absenteísmo. No exemplo dos operadores que sugeriram a cinta, o absenteísmo caiu de 11% para 3%. Resultado: ao aproximar gestores e operadores para compartilhar conhecimentos, resolver problemas e atingir as metas, a empresa estará contribuindo para o aumento do engagement e para a melhoria do clima organizacional.


menu
menu