Segurança dos alimentos

Segurança dos alimentos

É crescente a preocupação do consumidor com a segurança dos alimentos. Por consequência, as cadeias produtiva e comercializadora não têm poupado esforços nem recursos para a melhoria contínua da qualidade dos produtos, a fim de que cheguem aos clientes em condições ideais de consumo, de forma segura e livres de agentes contaminantes.

A preocupação com a segurança de alimentos é, ao mesmo tempo, uma estratégia de permanência no mercado, pois representa, nos dias atuais, a sustentabilidade do negócio. Afinal, quanto mais seguro o produto, mais satisfeito estará o consumidor e menor será o risco de perdas.

Além disso, com as redes sociais, qualquer episódio que envolva produtos alimentícios em condições impróprias de consumo ganha contornos com proporções estratosféricas, com potencial de causar sérios danos à imagem do fabricante e do distribuidor, antes mesmo que se possam apurar as verdadeiras causas do ocorrido.

Portanto, engana-se quem pensa tratar-se de questão exclusiva da indústria. Na verdade, a responsabilidade pela segurança dos alimentos é de todo o elo da cadeia, dos produtores  aos distribuidores.

A Associação Paulista de Supermercados (APAS), desde 2010, mantém um comitê permanente de Segurança Alimentar, formado por profissionais nutricionistas, veterinários e engenheiros de alimentos indicados pelos associados, que se reúnem mensalmente para debater temas e propor ações efetivas nessa área.

Temas caros do cotidiano supermercadista, como prazo de validade, condições de armazenagem, rotulagem, impacto das ações governamentais de fiscalização, dentre outros, são permanentemente debatidos para proposição de melhorias e aprimoramento da segurança dos produtos.

A título de exemplo, uma das contribuições importantes do comitê, em parceria com a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), foi o reconhecimento da ANVISA de que os mercados, supermercados ou hipermercados que preparem ou fracionem alimentos e que realizem a embalagem de alimentos na ausência do consumidor, para venda no mesmo local, não necessitam seguir a RDC nº 26/2015, que obrigava a rotulagem de alergênicos.

No próximo dia 28 de novembro, a APAS realizará, em sua sede, na zona Oeste da capital paulista, a segunda edição do evento de Segurança dos Alimentos – Global Markets, que focará em debates sobre cultura de segurança dos alimentos, prevenção de fraudes, evolução dos critérios para definição do prazo de validade, além da extensão da aplicação das boas práticas para produção primária no FLV (frutas, legumes e verduras), temas de suma importância para o dia a dia supermercadista.

Enfim, destacam-se o compromisso da APAS e a relevância primordial da entidade, no tema segurança dos alimentos, em orientar e informar seu associado sobre as melhores práticas do setor, garantindo acesso a informações, de forma a perpetuar as atividades negociais com amparo na legislação vigente.


menu
menu