Ruptura alcança recorde nos supermercados em abril

Ruptura alcança recorde nos supermercados em abril

A ruptura no setor supermercadista, indicador que mede a falta de produtos nas gôndolas, anunciado pela NeoGrid/Nielsen, chegou a 13,93% em abril, representando aumento recorde no ano, sendo o maior registrado desde que começou a divulgado, em 2015.

O crescimento da ruptura se deve as ações tomadas pelas empresas do ramo para superar o período de instabilidade econômica recorrente no Brasil. “Como alguns produtos e marcas têm a mesma função para o consumidor, os supermercadistas decidiram realizar uma redução do mix e suspenderam as compras de certos itens”, aponta o diretor de relacionamentos com varejo da NeoGrid, Robson Munhoz.

De acordo com informações da empresa, outra medida importante que leva à variação da ruptura é a diminuição de estoques no varejo. Munhoz explica que isso ocorre porque os varejistas não aceitaram os ajustes de preços colocados pelos fornecedores e compraram menos, o que inclui até itens de alto giro.

Além disso, houve mudança na estratégia da indústria e do próprio consumidor.  As fabricantes reduziram a produção de determinados produtos, afetando o prazo de entrega ao varejo. Já o consumidor passou a procurar mais produtos em oferta, o que refletiu nas previsões para manter os produtos na gôndola, além de trocar os itens geralmente comprados por equivalentes com preços mais baixos.


menu
menu