Recuperação lenta

Após o aprofundamento da crise em 2015 e do impacto negativo no consumo dos lares em 2016, em 2017 o mercado lentamente começa a se recuperar.  De qualquer forma, mais da metade das famílias brasileiras (51%) gastou mais do que ganhou em 2016. Enquanto a renda média mensal dos brasileiros foi de R$ 3.108, o valor médio empregado em despesas ficou em R$ 3.159 no ano passado. De acordo com os dados, no período, 27% dos gastos foram destinados para alimentação e bebidas dentro do lar, higiene e limpeza caseira, 33% foram direcionados para habitação, transporte e serviços públicos, enquanto 40% para demais setores, como saúde, educação e lazer. As contas de serviços públicos, que se destacaram em 2015, não aumentaram em 2016.

Cestas

No curto prazo – correspondente ao primeiro trimestre de 2017 versus mesmo período de 2016 – dados da Kantar Worldpanel apontam um reaquecimento do consumo. A cesta de limpeza tem se saído melhor do que as demais, com 7,3% de crescimento volume, seguida da cesta de mercearia doce (+6,8%), higiene (+3,9%), bebidas (+1,3%). A cesta de perecíveis retrai no período, com -9%. E a cesta de mercearia salgada manteve-se estável.

Ofertas Especiais

Há algum tempo destacando-se nos pontos de venda, as promoções seguem firme e forte entre as preferências do consumidor, destaca o estudo. O Brasil está junto dos países que mais geraram valor em ofertas especiais (40,1%) no primeiro trimestre de 2017 – Argentina (40%), Reino Unido (38%), Itália (34,5%), Holanda (20,6%), Alemanha (17,4%), Espanha (14,5%) e França (13,5%) seguem no ranking. De acordo com a Kantar Worldpanel, 80% dos consumidores brasileiros compraram itens em promoção no último trimestre, dos quais 55% afirmaram que a oferta especial é o principal fator na hora da escolha da loja.

Desconto no preço (58%) e Leve 2×1 (19%) são as mecânicas mais usadas.

Canais de Compra

Apesar do baixo crescimento em volume para a cesta total, alguns canais avançam a duplo dígito, que é o caso das farmácias (+17%) e dos atacarejos (+12%), considerando os cinco primeiros meses de 2017 versus o mesmo período de 2016.

Mudanças  Populacionais

Outro comportamento que tem impactado o consumo no Brasil é o fato de que as famílias estão cada vez menores. Em 2006, por exemplo, 30% dos lares tinham uma ou duas pessoas. Dez anos depois, o número foi para 32%. Já os lares que eram compostos por cinco ou mais pessoas, no mesmo período, caíram de 22% para 19%. Atualmente, 7% dos domicílios têm apenas uma pessoa. Essa mudança implica em uma demanda maior de embalagens sob medida, menores e ideais para o momento.

Sobre a Kantar Worldpanel

A KantarWorldpanel é especialista global em comportamento de consumo. Por meio de um monitoramento contínuo, análises avançadas e soluções customizadas, inspira decisões de sucesso de grandes marcas, varejistas, analistas de mercado e organizações governaentais. Com mais de 60 anos de experiência, um time de 3.500 funcionários e serviços que cobrem 60 países diretamente ou por meio de parceiros, a Kantar Worldpanel transforma comportamento de compra em vantagem competitiva em mercados diversos, como FMCG, compras por impulso, fashion, baby, telecomunicações e entretenimento, entre vários outros. Para mais informações, acesse: www.kantarworldpanel.com/br.

O Estudo / Metodologia

Pelo 13º ano consecutivo, a Kantar Worldpanel, em parceria com a SuperVarejo, realiza o mais atualizado e abrangente estudo sobre as marcas líderes: o ranking As Mais Mais – A escolha do consumidor. Considera-se, para efeito de análise, o ano fechado de 2016 (janeiro a dezembro) por meio da consolidação de informações provenientes do Painel Nacional de Domicílios Kantar Worldpanel.

O estudo traz informações de todos os canais de compra que o consumidor utiliza, formais e informais, incluindo porta a porta, lojas de presentes, feiras livres, cesta básica, camelôs, entre outros.

Semanalmente, entrevistadoras da Kantar Worldpanel visitam domicílios espalhados por todo o Brasil, que aepresentam 81% da população domiciliar (mais de 52 milhões de domicílios – cidades acima de 10 mil habitantes), o que equivale a 91% do potencial de consumo nacional, coletando e documentando o comportamento espontâneo de compra dos lares brasileiros para produtos alimentares, bebidas, higiene pessoal e limpeza doméstica, abrangendo 139 categorias de produtos para esta edição.

Na presente edição da “Mais Mais”, o estudo aponta as cinco principais marcas em cada região no canal, bem como a concentração das marcas líderes em cada uma das categorias.

Para a classificação das cinco marcas líderes, utilizamos como critério o volume de compras, e não o faturamento. O estudo não considera para efeito de definição de marca o critério extensão de linha, ou seja, ainda que a categoria apresente variações de sabor, tipo, cor e ação, dentre outros, todas são consolidadas no total da marca.

As regiões geográficas consideradas para este estudo são: Grande São Paulo, Interior de São Paulo, Sudeste (que considera os estados de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro), Sul, Centro-Oeste e Norte+Nordeste.

A classificação das cindo maiores redes no Brasil, que segue o critério do ranking da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), é composto pelo Grupo Pão de Açúcar, Grupo Carrefour, Grupo Walmart, Grupo Cencosud e Grupo Zaffari. No estado de São Paulo estão entre as cinco maiores Grupo Pão de Açúcar, Grupo Carrefour, Grupo Walmart, Sonda e Coop.


menu
menu