Primeiro semestre tem queda de 36,4% nos pedidos de recuperação judicial, revela ACSP

Primeiro semestre tem queda de 36,4% nos pedidos de recuperação judicial, revela ACSP

Nos primeiros seis meses de 2017, o número de pedidos de recuperação judicial por empresas estabelecidas na capital paulista caiu 36,4% ante o mesmo período de 2016 (88 no ano passado contra 56 neste ano). As informações são do levantamento da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que revelou ainda que os pedidos de falência recuaram em 11,8% na mesma base de comparação (com 212 no ano anterior e 187 em 2017).

Segundo informações da entidade, o resultado foi ajudado pela alta de 1% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre de 2017 em relação ao quarto trimestre de 2016, que interrompeu um ciclo de oito quedas trimestrais consecutivas. O levantamento da Associação tem como base os dados fornecidos pela Boa Vista/SCPC.

Na indústria e no comércio os pedidos de recuperação judicial no primeiro semestre deste ano caíram mais do que a média, com recuos de 44,4% e 64,7%, respectivamente. Na contramão, no setor de serviços houve um aumento de 47,4%.

Em relação a falências, o resultado do semestre foi puxado pela indústria, cujos pedidos recuaram 29,9% na mesma base comparativa. No comércio, a retração foi de 10%, enquanto em serviços o número aumentou em 2,7%.

“Isso é um recomeço e demonstra um primeiro sinal de que a situação de calamidade do País pode estar se revertendo, especialmente pela recuperação da indústria. Há um alívio na situação financeira das empresas produtoras de bens, que podem comercializar seus produtos dentro e fora do Brasil”, declarou Burti.


menu
menu