PIB do agronegócio retrai 0,65% no acumulado do último ano

PIB do agronegócio retrai 0,65% no acumulado do último ano

O PIB do agronegócio brasileiro apresentou queda de 0,65% no acumulado de janeiro a novembro do último ano, segundo mostram pesquisas do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, em parceria a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Em novembro, houve um leve recuo de 0,02%, mantendo assim a estabilidade.

De acordo com informações do portal Feed&Food, o desempenho da renda gerada no setor em 2018 está relacionado ao aumento de custos de produção nos segmentos primários agrícola e pecuário, e às quedas da demanda em outras áreas e atividades do setor pecuário, os quais impactam diretamente as margens e as demanda do setor de serviços.

Em novembro, o setor agrícola teve baixa somente no segmento primário, igual movimento identificado para o acumulado do ano. Ainda que com a recuperação dos preços e com a expectativa de elevação na produção no último ano, a alta no faturamento de produtos importantes em termos de valor de produção, como algodão, soja e trigo, o incremento nos custos de produção mantiveram o segmento em baixa no quesito renda, afirmaram os pesquisadores do Cepea/CNA.

Na pecuária, os pesquisadores indicam que o destaque foi a frágil demanda interna e a restrição de importantes mercados que são destinos da carne brasileira, que impactaram os preços durante o ano. Entretanto, a competitividade no exterior teve efeitos favoráveis às exportações da carne desde setembro. Já o segmento primário do setor foi igualmente impactado pelo aumento de custos de produção, uma vez que, no período, houve aumento do preço do milho.


menu
menu