Os efeitos da greve dos caminhoneiros na Ceagesp - SuperVarejo
Os efeitos da greve dos caminhoneiros na Ceagesp

Os efeitos da greve dos caminhoneiros na Ceagesp

Apesar do acordo entre governo e representantes de caminhoneiros na noite desta quinta-feira, 24 de maio, os protestos continuam pelo país nesta sexta-feira (25). E as manifestações, que estão no quinto dia consecutivo, seguem prejudicando o abastecimento em diversos setores.

A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) emitiu comunicado à imprensa, apontando a situação para o segmento de FLV.

Segue, abaixo, o conteúdo na íntegra:

COMUNICADO À IMPRENSA CEAGESP

A Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP) informa que os efeitos do 4º dia da greve dos caminhoneiros no sistema de abastecimento de frutas, legumes e verduras no Entreposto Terminal São Paulo (ETSP) foram bastante sentidos pelos comerciantes de modo geral.

A maioria dos atacadistas de todos os segmentos do ETSP não receberam mercadoria – sejam provenientes de outros Estados do Brasil, sejam de cidades do interior do Estado de São Paulo – salvo algumas exceções, que conseguiram desembarcar alguns produtos trazidos por rotas alternativas que não passavam necessariamente pelos pontos de greve dos caminhoneiros nas estradas paralisadas.

Até o final da tarde desta quinta-feira (24/5), a produção vinda do interior de São Paulo conseguiu chegar aos entreposto em pequenas quantidades, como as citrícolas, verduras e boa parte dos legumes. Os produtos que permitem estocagem, como a maçã, pera e abóboras foram encontrados com estoque para comercialização.

Com isso, alguns produtos provenientes de outros Estados já começaram a faltar no mercado, como o mamão formosa, o melão e o maracujá, e outros, como a batata, registraram alta nos preços praticados devido à poucas oferta do produto. No Pavilhão Mercado Livre do Produtor (MLP), onde são comercializadas verduras e hortaliças, operou-se hoje com menos de 50% de sua capacidade, ocasionando uma subsequente elevação de preços.

PREÇOS

A formação de preços na CEAGESP é feita baseado na lei de oferta e demanda, ou seja, quando há muita oferta de determinado produto e pouca demanda, o preço cai, e ocorre o mesmo na situação inversa. Com isso, o preço de alguns produtos que se encontram escassos no mercado tendem a subir de preço. Ressaltamos que a CEAGESP não tem poder de controle de preços, visto que é o próprio mercado que estabelece os valores praticados no dia.

Como os compradores também não estão conseguindo chegar à CEAGESP – especialmente de outros Estados – alguns produtos registraram queda de preço, pois os atacadistas precisam vender sua mercadoria, muitos bastante perecíveis, e que precisam ser comercializados logo para não correrem o risco de estragarem e perderem o seu valor.

* Um comparativo dos preços praticados dos dias 6/5 e 23/5 encontra-se no final deste comunicado, demonstrando que houve tanto a elevação como a diminuição de alguns produtos comercializados no ETSP. Esse levantamento de preços normalmente é feita diariamente pela Seção de Economia e Desenvolvimento da CEAGESP.

COTAÇÃO

Contudo, em razão da greve dos caminhoneiros e, como consequência, a redução acentuada da entrada de mercadorias no Entreposto Terminal São Paulo (ETSP), ficou impossibilitada a formação de preços compatível com a oferta e a diversidade de produtos e atacadistas. Com isso informamos que a cotação de preços ficará temporariamente suspensa até que a comercialização esteja normalizada. Pelos motivos expostos acima, não foi possível levantar valores para a elaboração da tabela de preços nesta quinta-feira (24/5).

FUNCIONAMENTO DA CEAGESP

Nesta sexta-feira, dia 25/5, todas as unidades da CEAGESP – tanto da capital como do interior – estarão com os portões abertos e estão programados para funcionar normalmente nesta sexta-feira (25/5.

No Entreposto Terminal São Paulo (ETSP) da capital, tanto a feira de pescados, que ocorre das 2h às 6h no Frigorífico São Paulo (FRISP), como a feira de flores, que ocorre da meia-noite às 9h30, estão programadas para operarem normalmente. As operações de comercialização nos entrepostos do interior também não sofrerão alteração.

* Salientamos que caberá exclusivamente a cada permissionário (comerciantes), decidir sobre a inatividade de sua empresa nos próximos dias. A administração de cada entreposto funcionará normalmente, assim como as unidades armazenadoras da Companhia localizadas na capital e no interior do Estado.

VARIAÇÕES MAIS SIGNIFICATIVAS DE PREÇOS NA ÚLTIMA SEMANA VARIAÇÃO NASEMANA
PRODUTO VARIEDADE 16/05 (R$/KG) 23/05 (R$/KG)
LIMÃO TAITI 3,82 3,05 -20,1%
KIWI ESTRANG. ITÁLIA 8,21 6,86 -16,4%
CAJU 20,97 17,75 -15,3%
CAQUI FUYU 9,53 8,21 -13,8%
CAQUI GIOMBO 4,08 4,65 14,1%
LARANJA LIMA 1,61 1,88 17,2%
ABACAXI HAVAÍ 3,99 4,87 22,0%
MANGA PALMER 2,80 3,43 22,8%
ABÓBORA JAPONESA 1,66 1,50 -9,4%
TOMATE CAQUI 6,28 5,72 -9,0%
ABÓBORA MORANGA 1,29 1,24 -3,9%
TOMATE OBLONGO 3,08 3,81 23,7%
TOMATE ITALIANO 3,22 4,07 26,3%
TOMATE ACHATADO 2,86 3,61 26,3%
QUIABO LISO 4,99 6,39 28,0%
CHUCHU 1,25 1,72 38,2%
ABOBRINHA ITALIANA 2,44 3,44 40,7%
JILÓ REDONDO 2,37 3,34 40,9%
ABOBRINHA BRASILEIRA 1,90 2,71 42,8%
ALMEIRÃO 23,55 20,32 -13,7%
REPOLHO ROXO 36,92 31,95 -13,5%
ESPINAFRE 23,51 20,43 -13,1%
RABANETE 22,31 26,40 18,3%
CEBOLINHA 8,70 10,53 21,0%
COENTRO 44,69 57,31 28,2%
COUVE 10,92 16,28 49,1%
AMENDOIM SEM CASCA 178,47 144,44 -19,1%
AMENDOIM COM CASCA 111,70 105,77 -5,3%
ALHO ESTRANG. CHINÊS 9,83 9,33 -5,1%
ALHO NACIONAL 14,96 16,75 12,0%
BATATA ESCOVADA 1,94 2,70 39,2%
BATATA ASTERIX 1,66 3,03 82,5%
BATATA LAVADA 2,20 4,29 94,8%



IM


menu
menu