O Flix do Varejo

O Flix do Varejo

por Nathalie Gutierres 

A tecnologia e a internet transformaram diversos costumes das pessoas nos últimos tempos. O hábito de comprar CD cedeu espaço ao de ouvir as músicas nas plataformas digitais. Os filmes e séries agora são assistidos por boa parte da população por streaming. E é a partir do streaming que acaba de chegar ao mercado o Flix do Varejo, solução para o desenvolvimento e para a formação dos varejistas.

Primeira plataforma streaming para esse setor, a ferramenta foi criada pela Universidade Martins do Varejo (UMV), divisão de ensino do Grupo Martins (rede mineira que atua no segmento atacadista-distribuidor e que também conta com a rede de varejo Smart Supermercados), lançada oficialmente na capital paulista no início de setembro deste ano.

O sistema, que até a sua estreia somou investimento aproximado de R$ 3 milhões, tem como proposta a capacitação do pequeno e médio varejista, no formato que a empresa descreve como“moderno e prático”. A ferramenta reúne conteúdo para aprimoramento estratégico em diversos formatos, a exemplo de vídeos, artigos e até mesmo jogos.

A ideia de desenvolvê-la foi para atender, de forma prática e acessível, os varejos de portes menores, contribuindo com o desenvolvimento deles, como explica o gerente da UMV, Ismael Ferreira Carrijo. “Hoje, no Brasil, nós temos cerca de 1.300.000 lojas de varejo de todos os tipos. Logicamente que atingir todas essas pessoas presencialmente, com educação e treinamento corporativo, é impossível. Então, agora temos a grande ferramenta, que é a internet, que é o streaming, e que não necessita realizar download de vídeo e áudio”, resume.

A ferramenta representa mais um recurso que o Grupo Martins oferece para contribuir com a evolução do varejo,
como explica o CEO da empresa, Walter Faria. “É mais uma solução que nós estamos trazendo, que só reforça a nossa visão, que é trabalhar sempre para o desenvolvimento do pequeno e médio varejista. Tudo que pudermos fazer nessa direção, nós vamos continuar fazendo. Nós temos que provocar neles (pequeno e médio varejo) essa preocupação, de como eles podem criar uma experiência nova para o shopper, para o consumidor que vai à loja, como eles podem melhorar a gestão para prover essa experiência, como melhorar o processo de abastecimento para não ter ruptura etc.”, exemplifica Faria.

Como a plataforma funciona

Com base nas informações que apura, a UMV deu início ao desenvolvimento de séries com temas estritamente ligados ao varejo, a exemplo de liderança, perdas, vendas presenciais, entre outros, como
diz Carrijo. “Nós começamos a fazer isso em forma de filme, adotando o formato edutainment, que é a mistura de educação com entretenimento”, cita.

A escolha desse modelo de conteúdo visa atender às necessidades do público do setor varejista. “Mais de 90% das pessoas que trabalham com varejo são jovens. Então, é preciso levar essa parte educacional de forma lúdica a eles”, conta o porta-voz da UMV, dizendo que, assim, o público terá grande performance de aprendizado.

Junto aos vídeos disponibilizados ao público, encontram-se diversos outros materiais para dar suporte ao conteúdo
ministrado. Após assistir aos filmes, as pessoas têm acesso à área que reúne vários exercícios que, após serem concluídos, resultam em certificação.

“Cada série trata de um tema e tem suas temporadas. Cada temporada conta com seis episódios. Por exemplo, a série sobre Liderança tem quatro temporadas, com seis episódios, ou seja, são 24 episódios, com uma média de 8 a 10 minutos cada”, discorre Carrijo.

Em seu lançamento, a plataforma já contava com cinco séries e outras duas estavam no processo de filmagem. “Nós
vamos liberar um episódio a cada duas semanas e já temos mais três séries”, afirma Carrijo, acrescentando que, até o final do próximo ano, somará 20 séries.

Existem séries que dificilmente acabam, a exemplo daquelas que tratam de temas como liderança e perdas no varejo: sempre tem algo novo sobre essas questões. Então, estaremos constantemente atualizando esse conteúdo”, conta o gerente da UMV.

Força do streaming

Neste ano, o Grupo Martins tem a expectativa de atingir 5 mil usuários na ferramenta. E a projeção para os próximos anos já está feita: até o final de 2018, a ideia é somar 10 mil usuários e, até dezembro de 2019, 20 mil inscritos.

“Acreditamos que podemos chegar a esses números antes, mas, como estamos bem com os ‘pés no chão’, decidimos trabalhar com essas projeções”, estima Carrijo.

Ele conta que, quanto mais assinantes tiverem, mais será possível investir na solução. “Estudei bem o negócio da Netflix, porque as séries são muito boas e a plataforma é um sucesso muito grande por conta da qualidade do conteúdo. À medida que aumentamos o número de usuários, podemos nos dedicar ainda mais ao conteúdo.”

Para usufruir da plataforma, é preciso acessar o site da ferramenta (www.flixdovarejo.com.br), fazer assinatura
e pagar uma mensalidade, que irá variar de acordo com a quantidade de pessoas que irão acessá-la. Além das opções voltadas para a modalidade empresarial, a assinatura também está disponível para as pessoas físicas, considerando que essas têm acesso a uma quantidade menor de recursos.


menu
menu