Nestlé quer tornar suas embalagens 100% recicláveis ou reutilizáveis

Nestlé quer tornar suas embalagens 100% recicláveis ou reutilizáveis

A Nestlé anunciou, hoje (10/04), que tem a intenção de tornar 100% de suas embalagens recicláveis ou reutilizáveis até 2025. Sua visão é de que nenhuma de suas embalagens, inclusive as plásticas, seja descartada em aterros sanitários ou lixo. A empresa acredita que existe uma necessidade urgente de minimizar o impacto das embalagens no meio ambiente.

A empresa se concentra em três áreas principais: eliminar plásticos não recicláveis; incentivar o uso de plásticos que permitam melhores índices de reciclagem; e eliminar ou alterar combinações complexas de materiais de embalagem.

No Brasil, a companhia é uma das fundadoras do Compromisso Empresarial para a Reciclagem (CEMPRE) e está engajada com as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), trabalhando em conjunto com as demais empresas do setor para encontrar soluções para a questão da logística reversa. Os resíduos dos processos industriais da companhia no país são enviados para algum tipo de reciclagem e todas as fábricas no Brasil são Zero Descarte de Resíduos.

Entre os destaques está a fábrica de cápsulas Nescafé Dolce Gusto, instalada em 2015 na cidade de Montes Claros (MG), a primeira unidade fabril da marca no mundo a receber a certificação de Impacto Ambiental Neutro em três dimensões: água, resíduos e emissão de carbono. Com a marca, a empresa também possui no Brasil uma iniciativa inovadora na reciclagem de cápsulas pós-consumo, que são transformadas em novos materiais, como acessórios (porta-cápsulas) e tubetes para transportar mudas de café.

“O lixo plástico é um dos maiores problemas de sustentabilidade com que o mundo se depara atualmente. Isso só poderá ser enfrentado por uma abordagem coletiva. Estamos comprometidos em encontrar melhores soluções para reduzir, reutilizar e reciclar. Nossa ambição é alcançar 100% de embalagens recicláveis ou reutilizáveis até 2025”, declarou o CEO da Nestlé, Mark Schneider.


menu
menu