Executivas do varejo estão insatisfeitas com relação entre homens e mulheres no setor

Executivas do varejo estão insatisfeitas com relação entre homens e mulheres no setor

Mais da metade das executivas que atuam no varejo (62%) declararam que não estão satisfeitas com a relação entre homens e mulheres no setor, enquanto 29% afirmou que já percebeu uma complementariedade e um trabalho de forma colaborativa. Além disso, 80% disse que o nível de esforço para alcançar cargos de direção é muito alto, de acordo com uma pesquisa realizada com 87 mulheres pelo Grupo Mulheres do Varejo.

PERFIL DAS ENTREVISTADAS

38% – CEO, Presidente, Sócia-Proprietária

23% – Diretoria, CFO

21% – Alta gerência

9% – Média gerência

9% – Executiva/Especialista

Fátima Merlin e Vanessa Sandrini são idealizadoras do Grupo Mulheres do Varejo

O Grupo Mulheres do Varejo (MdV) foi criado no início de novembro, por Fátima Merlin e Vanessa Sandrini (foto), com o propósito de ser referência na construção de uma nova onda do setor, inspirando-se na força feminina. “Juntas queremos construir uma economia mais colaborativa tornando-se agentes de uma transformação no varejo”.

“Foram tantas vozes pedindo espaço para falar pela mesma causa que a responsabilidade aumentou”. Em duas semanas, dez mulheres se candidataram para fazer parte do Comitê Executivo, um planejamento estratégico foi elaborado, logotipo e apresentação foram criados, as redes sociais abertas, uma pesquisa enviada e, em um mês, cerca de 500 mulheres já fazem parte do grupo. No Facebook, a página já alcançou seis mil pessoas em menos de um mês.

Tanta força que no dia 11 de dezembro foi realizado o 1º Encontro Nacional de Mulheres do Varejo, na sede da GS1, uma das patrocinadoras do evento. “Quando abrimos as inscrições para o evento, elas se encerraram em três dias”, comentou Fátima Merlin. “Isso demonstra que as mulheres querem e ainda precisam lutar pelo seu espaço”, complementou.

DEBATE – Além de apresentar a pesquisa completa, o grupo debateu o papel da mulher no varejo com os convidados Adriana Muratore, Cibele Vacchiano, Hugo Bethlem e o grupo definiu quais são os principais tópicos para os trabalhos em 2019. Entre os temas mais citados foram desenvolvimento e negócios.

A palestrante e terapeuta Dirce Katayama, do Núcleo Ser Treinamentos, fez questão de falar sobre a “Apropriação e Apoderamento” do feminino. “Fiquei perguntando para mim por que os melhores chefs, estilistas de alta costura, os criadores de música clássica eram homens. Um dia, lendo um livro, me veio um insight: porque nós mulheres somos cocriadoras, criamos com Deus e os homens não tem esse privilégio. Por isso, eles precisavam preencher esse vazio criando coisas maravilhosas também”, contou Dirce.


menu
menu