M. Dias Branco compra Piraquê

M. Dias Branco compra Piraquê

O grupo M. Dias Branco, detentor de marcas como Adria e Richester, anunciou a compra da fabricante de biscoitos e massas Piraquê. O contrato foi firmado nesta segunda-feira (29/01) pelo valor de aproximadamente R$ 1,55 bilhão, conforme informou o portal O Globo. Porém, a confirmação da transição ainda depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômico (Cade), responsável pela regulamentação da concorrência no Brasil. Procura pela nossa equipe de reportagem, a M. Dias Branco não se pronunciou sobre o assunto até o fechamento desta matéria.

A estratégia do grupo cearense, com a aquisição, é o fortalecimento da marca na região Sudeste, visto que, atualmente, mais da metade do faturamento do grupo (70%) estão concentrados no Nordeste do país. “Faz parte da nossa estratégia o crescimento por aquisições. Fizemos cinco desde 2003. A Piraquê é uma marca simpática, que complementa bem nossos negócios e vai nos ajudar na descentralização das operações”, afirmou o vice-presidente de investimentos e controladoria da M. Dias Branco, Geraldo Luciano Mattos, conforme publicou O Globo.

História de sucesso

Inaugurada em 1936, pelo imigrante português Manuel Dias Branco, o grupo cearense nasceu como uma padaria, na cidade de Cedro, no interior do Ceará. Porém, 14 anos depois, Branco ampliou a sociedade e criou a M. Dias Branco, para produzir massas e biscoitos. Atualmente, a empresa é responsável por quase 20 marcas e tem sede em Eusébio, localizada a 24 quilômetros da capital cearense.

E é lá, na região de origem, que a empresa detém marcas expressivas, como Fortaleza, Rischester e Vitarella. A companhia só ganhou mais relevância em 2003, quando adquiriu o grupo Adria, de massas.

Três anos depois, lançou ações na Bolsa, quando levantou R$ 361 milhões. Desde então, a família Dias Branco detém 75% da companhia.

Ainda de acordo com o portal O Globo, a empresa tem fábricas presentes em todo o Brasil (Nordeste, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul). Já a Piraquê, administrada pelas famílias Colombo e Ometto, dona da Cosan, um dos maiores grupos econômicos privados de investimento do país, conta com duas unidades no estado do Rio de Janeiro: uma em Madureira, zona norte da capital e outra em Queimados, na Região Metropolitana.

Créditos/foto: O Globo


menu
menu