Leite, cerveja e sorvete lideram ranking de rupturas nas gôndolas

Leite, cerveja e sorvete lideram ranking de rupturas nas gôndolas

O índice de ruptura nos supermercados, responsável por medir a falta de produtos nas gôndolas, chegou a 10,29%, em janeiro deste ano, conforme dados divulgados pela Neogrid/Nielsen, obtidos com base na movimentação de 10 mil lojas no setor em todo o Brasil.

Em dezembro de 2017, o indicador registrou 10,11%, permanecendo na média estável já sinalizada no segundo semestre do ano passado, quando a variação foi de 10,22%, em junho, a 10,51%, em novembro.

De acordo com a pesquisa, em 2017 o leite foi o item com o maior índice de ruptura nos supermercados, atingindo 15,3%. Em segundo lugar a cerveja registrou 14,2% e sorvetes com 12,8% fechou os três primeiros. Frango in natura e refrigerantes totalizaram 12,1% e 11,5%, respectivamente.

Para o vice-presidente de operações da Neogrid, Robson Munhoz, a indústria e varejo ainda tentam entender e lidar com as escolhas do consumidor, o que influencia a ruptura. “Em 2017, com a crise, houve a substituição de produtos habitualmente consumidos por outras marcas de menor preço, mas que não têm um histórico de vendas relevante para serem repostos com frequência. Isso provavelmente manteve o indicador considerado ainda alto”, explicou.

Munhoz também destacou que as promoções sem previsões assertivas, embates comerciais nas negociações com fornecedores – que ficaram mais acirrados e demorados, gerando a falta de certos produtos nas lojas por longos períodos, e o aumento o volume de compras pelo varejo para melhorar a ruptura, foram tomadas a partir da incerteza econômica do país.

Para este ano, o executivo crê em um mercado mais otimista com o índice de ruptura estável, principalmente com o varejo e a indústria em sintonia para atender a demanda das famílias que deve aumentar nos próximos meses.

Em 2017, a produção industrial nacional encerrou o ano com crescimento de 2,5%, após três anos de perdas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já as vendas dos supermercados brasileiros cresceram 1,25% em termos reais no acumulado do ano de 2017 na comparação com 2016.

Ainda de acordo com o estudo, somente no mês de dezembro as vendas subiram 2,55% em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). “Com a retomada da confiança, o varejo supermercadista abasteceu suas lojas com grande quantidade e variedade de produtos e alimentos, que diminuiu a falta de determinados itens”, comentou.


menu
menu