IPS tem queda de 0,41% em março - SuperVarejo
IPS tem queda de 0,41% em março

IPS tem queda de 0,41% em março

O Índice de Preços dos Supermercados (IPS) caiu 0,41% em março, no comparativo ao mês de fevereiro, o que fez o índice ficar em 0,51% no acumulado de 2018, segundo a Associação Paulista de Supermercados (APAS). Em apenas sete vezes dos 24 anos de histórico o mês de março apresentou deflação. Levando em consideração os últimos 12 meses esta redução de preços é ainda mais forte, com 2,13%. 

“A persistência na baixa de preços nos alimentos é a conjunção de desempenhos cada vez melhores da agroindústria em produtividade, o que aumenta a oferta de produtos. Um mérito deste importante setor brasileiro que alavancou o país na saída da crise”, explicou o economista da APAS, Thiago Berka, que pondera: “O consumidor brasileiro, que apesar da manutenção da renda média e massa salarial em bons patamares para uma crise tão grave, ainda sofre com índices de desemprego muito altos, o que encolhe demais a base consumidora”.

Para o economista, uma forma de os supermercados manterem suas vendas com esse novo crescimento do desemprego são potencializar iniciativas como programas de fidelidade, ofertas e promoções. “Tais práticas tem sido a tônica para tentar manter o volume de vendas em patamares aceitáveis em detrimento das margens líquidas”, concluiu Berka.

Índice de Preços dos Supermercados (IPS/APAS)

Das 27 subcategorias que compõem o IPS, apenas cinco apresentaram aumento, sendo praticamente o mesmo cenário de fevereiro.

Na análise individualizada, o destaque do mês de março em relação a fevereiro na deflação ficou novamente com proteínas: as quedas dos preços das aves foram de 6,12%; das carnes suínas de 0,46% e, das carnes bovinas, de 0,43%. Essas reduções tiveram grande peso no índice. Os pescados, que normalmente sobem no mês devido à quaresma e ao feriado de Páscoa, ficaram estáveis, com leve alta de 0,6%. O feijão chegou à 15º deflação seguida e caiu 1,73%.

Os produtos in natura voltaram a subir, totalizando 1,88% em relação a fevereiro. Este aumento foi principalmente devido aos ovos, que aumentaram 3,69%, e as frutas, que cresceram 5,88%. Aliás, nesta categoria, os principais aumentos foram os da laranja (12,64%) e da banana (6,37%).

Os preços das bebidas alcoólicas caíram 0,42% em março, principalmente por conta da cerveja, que teve redução de 0,78% e, no acumulado do ano, caiu 1,53%. Nas bebidas não alcoólicas também foi observada queda de 1,20%, chegando a um total de deflação de 1,33% no ano. O grande responsável por esse número foram os refrigerantes, que reduziram 1,78%.

Nos produtos de limpeza, a APAS observou queda de 0,23%, praticamente o mesmo valor de fevereiro. Apesar de duas quedas consecutivas, os preços desta categoria estão em alta de 0,68%, o que permite preços mais contidos após a aceleração observada em janeiro.

E nos artigos de higiene e beleza a deflação em março foi de 1,22%, atingindo queda de 1,69% no ano. Para os cremes dentais e desodorantes, a redução foi de 2,93%.


menu
menu