Índice de preços da CEAGESP tem baixa de 1,39% em junho

Índice de preços da CEAGESP tem baixa de 1,39% em junho

O Índice de preços da CEAGESP encerrou o mês de junho com baixa de 1,39% em relação ao mês anterior. A quantidade de chuvas se manteve abaixo da média histórica para o período. Mesmo assim, o setor de verduras – que conta com alto índice de irrigação – apresentou forte baixa, amenizando as elevações de preços do mês de abril. Os setores que apresentaram altas foram o de diversos e pescados, com destaque para o alho nacional e o alho estrangeiro.

Em junho, o setor de frutas registrou baixa de 0,27%. As principais quedas ocorreram nos preços do limão taiti (22,3%), do caju (17,6%), morango (17,3%), melancia (15,9%), uva Itália (13,2%) e do maracujá azedo (13%). As principais altas ocorreram com a jaca (26,3%), acerola (24,2%), melão amarelo (23,8%), abacate fortuna (17,4%), maracujá doce (12,8%) e com o mamão havaí (12,6%).

O setor de legumes registrou retração acentuada de 6,05%. As principais baixas ocorreram com o tomate maduro (29,1%), pimentões amarelo (25,4%) e vermelho (24,9%), tomate salada (24,6%), beterraba (19%) e com a ervilha torta (14,2%). As principais elevações ocorreram com os preços da abobrinha brasileira (50,5%), pepino caipira (35%), chuchu (32,3%), vagem macarrão curta (25,9%) e do cará (21%).

Verduras apresentaram baixa expressiva de 11,83%. As principais quedas ocorreram com o coentro (42,1%), rúcula hidropônica (32,6%), agrião hidropônico (30,3%), alfaces hidropônicas crespa, lisa e mimosa (27,4%) e com as alfaces crespa, lisa e americana (23,5%). Os principais aumentos ocorreram com os preços do milho verde (11,7%), da couve (7,6%) e do salsão (5,6%).

O setor de diversos apresentou alta acentuada alta de 5,05%. As principais elevações ficaram por conta do alho estrangeiro chinês (23,4%), alho nacional (22,9%), coco seco (17,4%), alho estrangeiro argentino (15,1%) e dos ovos brancos (13,6%). As principais quedas ocorreram nos preços da cebola nacional (14,5%), da batata beneficiada (14,3%) e da batata comum (9,7%).

O segmento de pescados teve alta de 2,16%. Os principais aumentos foram registradas nos preços da lula congelada (49,2%), abrótea (22,5%), cascote (17,3%), peixe-espada (16,4%) e da pescada maria mole (16,2%). As baixas ocorreram com a tainha (30,1%), sardinha congelada (11,8%), tilápia (-7,9%) e também com o atum (-7,1%).

O volume comercializado no entreposto de São Paulo totalizou, no primeiro semestre deste ano, 1.596.678 toneladas, ante 1.649.454 toneladas negociadas no mesmo período de 2017, decréscimo de 3,2%. No acumulado do semestre, os setores de frutas, legumes e pescados foram os que mais reduziram o montante comercializado. O volume totalizado no mês foi de 273.580 toneladas, registrando aumento de 0,9% em comparação a junho de 2017, quando atingiu 271.174 toneladas.


menu
menu