Inadimplência das empresas cresce 9,37% em maio

Inadimplência das empresas cresce 9,37% em maio

O número de empresas inadimplentes cresceu 9,37% em maio deste ano ante o mesmo período do ano passado, segundo dados do indicador apurado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Na comparação com o abril de 2018, sem ajuste sazonal, a alta da inadimplência das empresas foi de 0,73%. Este foi o maior crescimento observado na série histórica desde setembro de 2016, quando a elevação apurada havia sido de 9,61%.

O avanço foi puxado principalmente pela região Sudeste, cujo crescimento foi de 16,54% na comparação entre maio de 2018 com o mesmo mês de 2017. Em segundo lugar ficou a região Sul (4,92%), seguida pelo Centro-Oeste (3,80%), pelo Nordeste (2,94%) e pelo Norte (2,10%).

A elevação em maio foi mais expressiva entre as empresas do ramo de serviços, cuja alta foi de 12,62%. O comércio (6,92%) aparece em segundo lugar, seguido pelas indústrias (5,78%). O único setor a apresentar queda na quantidade de empresas com contas em atraso foi o ramo da agricultura, que apresentou um recuo de 4,02% em novas negativações.

Em média, cada empresa inadimplente possui duas dívidas em aberto. De acordo com o indicador, a quantidade de dívidas em nome de pessoas jurídicas também cresceu em maio na comparação com o mesmo mês do ano passado: aumento de 7,94%.

Considerando os segmentos credores, ou seja, aqueles que deixaram de receber por uma dívida, o destaque ficou por conta do segmento de serviços, que engloba bancos, financeiras e empresas de seguro, com crescimento de 9,79% no período. As indústrias são o segundo ramo que mais deixou de receber (7,45%), seguidas pelo comércio (3,42%).

O ramo da agricultura foi, mais uma vez, o único segmento que apresentou queda (-5,14%). No total, em cada dez dívidas em nome de pessoas jurídicas no Brasil, sete (70%) são devidas em empresas de serviços. Outros 17% estão concentradas no comércio, enquanto 12% têm como principais credores as indústrias.

Outro dado apurado pelo SPC Brasil e pela CNDL é o Indicador de Recuperação de Crédito. No acumulado em 12 meses, o volume de empresas que saíram da lista de inadimplentes mediante o pagamento que estavam em atraso cresceu apenas 0,39%.

A alta da recuperação de crédito em maio foi puxada, sobretudo, pela região Sudeste onde a quitação de dívidas cresceu 5,32% no acumulado de 12 meses. Por outro lado, nas demais regiões houve quedas. A mais acentuada foi observada no Sul (-6,53%), seguido do Norte (-3,84%) e Centro-Oeste (-2,23%).


menu
menu