Inadimplência afeta mais de 5 milhões de micro e pequenas empresas

Inadimplência afeta mais de 5 milhões de micro e pequenas empresas

Em novo recorde histórico, o mês de março registrou 5,034 milhões de micro e pequenas empresas brasileiras com dívidas atrasadas no país. Na comparação com março de 2017, quando 4,622 milhões de companhias desse porte estavam inadimplentes, o índice teve crescimento de 8,9%, segundo estudo da Serasa Experian. Na relação com fevereiro de 2018 (5,025 milhões), apesar da leve alta de 0,2%, foi identificada a menor variação mensal entre as observadas nos últimos 10 meses.

Os dados sinalizam que a inadimplência no segmento começa a reverter um ciclo de altas sucessivas e tende a se estabilizar, conforme avaliam economistas da Serasa Experian. As taxas de juros, mantidas em patamares reduzidos, constituem um incentivo à busca por oportunidades de renegociação.

O estudo também apontou como a inadimplência se comportou nos diversos setores do mercado. Entre os CNPJs dos micros e pequenos empreendimentos com dívidas atrasadas no mês de março, o setor de serviços ficou na dianteira, com 46% do total, seguido pelo comércio (44,9%) e pela indústria (8,7%).

Evidenciada por uma maior concentração de negócios desse segmento entre as regiões do Brasil, o Sudeste permanece com o maior percentual de MPEs no vermelho, 54,1% do total. Aparecem na sequência Nordeste (16,2%), Sul (15,8%), Centro-Oeste (8,7%) e Norte (5,2%).

Entre os estados, São Paulo manteve sua liderança no levantamento do período, com 1,658 milhão de CNPJs deste porte negativados e uma participação de 32,9% do total nacional. As posições seguintes continuaram, respectivamente, com Minas Gerais, com 10,9%, e Rio de Janeiro, com 8,2%.


menu
menu