Grendene lucra R$ 410,5 milhões nos nove meses de 2017

Grendene lucra R$ 410,5 milhões nos nove meses de 2017

A Grendene lucrou R$ 410,5 milhões nos nove meses de 2017, resultado 5,9% superior quando comparado ao mesmo período do ano passado. A receita líquida cresceu 9% e chegou a R$ 1.546,6 milhões e o Ebit foi de R$ 278,4 milhões – 13,9% maior do que o registrado em 2016.

Neste ano, o volume de pares foi de 116,4 milhões, aumento de 3% ante os 9 meses de 2016, compostos por 87,4 milhões destinados ao mercado interno, e 29 milhões para o mercado externo – que corresponde a 32,8% do total de toda a exportação do setor no Brasil.

“Com a economia em lenta recuperação consideramos que nossos resultados foram novamente bons, com crescimento nas receitas e lucro operacional, mas com impactos negativos devido a aumentos de impostos”, ressalta o diretor financeiro e de relações com investimento da Grendene, Francisco Schmitt.

Ainda segundo o executivo, os números seguiram o ritmo de recuperação do consumo de calçados no país. “Há uma alternância entre períodos de crescimento e queda ou crescimento menor, o que torna difícil prever uma recuperação mais robusta e consistente”, afirmou.

A geração de caixa operacional atingiu R$ 427,6 milhões, afirmando o bom controle dos ciclos operacional e financeiro e elevando o caixa líquido para R$ 1,6 bilhão e o bruto para R$ 1,7 bilhão, com aumentos de 11,8% e de 9,7%, respectivamente, contra 31 de dezembro de 2016.

“Embora a crise esteja passando, o desemprego caindo, o nível de renda da população melhorando, e a desalavancagem da economia acontecendo, os desequilíbrios macroeconômicos e as incertezas sobre a evolução futura da economia brasileira continuam, o que tem retardado uma maior intensidade de investimentos que poderiam acelerar esta recuperação. Por ora, os níveis de consumo no setor de calçados ainda estão muito baixos, em relação ao pico atingido em 2013, e a retomada dos próximos meses deve continuar principalmente com a utilização de capacidade ociosa das empresas do país”, explicou Schmitt.


menu
menu