Fecomércio MG aponta preço como diferencial para o presente da Páscoa

Fecomércio MG aponta preço como diferencial para o presente da Páscoa

A Páscoa impulsiona as vendas de determinados segmentos do comércio, principalmente o de alimentos. A data gera um impacto positivo de aproximadamente 40% das empresas do varejo de Belo Horizonte, e a expectativa, para 2018, continua em alta. Por conta disso, dois estudos da Fecomércio MG registraram que 41,2% dos consumidores pretendem presentear durante a comemoração.

Entre as empresas impactadas pela data, aproximadamente 76% acreditam em vendas iguais ou melhores em relação ao ano passado. Para incrementar os negócios, elas pretendem realizar promoções/liquidações (36,7%), oferecer outros produtos alternativos ao chocolate (14,3%), investir em propaganda (13,3%), entre outras ações. Um percentual de 4,7% das lojas planeja contratar funcionários.

Comparado com o ano anterior, o percentual é menor (48,8%), porém o volume de indecisos é maior (12,8%). Mas essa porcentagem pode cair, visto que essas pessoas ainda poderão ser estimuladas a ir às compras pelas ações do comércio.

A pesquisa indicou que mais da metade dos entrevistados (53,8%) que pretendem dar presentes no dia 1º de abril serão atraídos por promoções, e 37,8%, pelas promoções. Além disso, o atendimento diferenciado aparece em terceiro lugar, com 19,3%. O tíquete médio projetado por 64,9% dos consumidores é de ate R$ 100. Chocolates e doces dominam a preferência dos clientes, com 94,6%.

Para o economista da Fecomércio MG, Guilherme Almeida, o resultado dos estudos mostrou pontos favoráveis. “Houve uma queda no indicador de intenção de compra, no entanto, muitos consumidores ainda poderão se decidir pelos presentes de Páscoa com a aproximação da data. Além da melhoria do cenário econômico, o preço mais contido dos produtos neste ano, até mesmo com deflação em alguns itens, deverá ser um incentivo”, avaliou.


menu
menu