Exportação de soja deve se manter aquecida na safra 2018/2019

Exportação de soja deve se manter aquecida na safra 2018/2019

A exportação de soja deve se manter aquecida na safra 2018/2019, já a do milho, deverá sofrer um revés no mercado neste período, segundo estudo realizado por técnicos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado ontem (20/08).

Há expectativa também de que a safra mundial de soja em grãos deverá ser a maior da história, com 367 milhões de toneladas, baseado nos dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

De acordo com o Feed&Food, desse total, os Estados Unidos devem produzir 124 milhões de toneladas e, o Brasil, 120 milhões de toneladas. “Os chineses estão taxando em 25% a soja em grãos americana e, com isso, as exportações deste produto no Brasil deverão menter-se aquecidas em 2019, visto que somos o único país capaz de vender o produto e ocupar o espaço deixado pelos norte-americanos”, afirmou o analista de mercado de soja da Conab, Leonardo Amazonas.

Para o grão as perspectivas são boas, como destacou o secretário interino de política agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Sávio Pereira: “Os Estados Unidos devem plantar mais milho e menos soja na próxima safra, e isso é positivo para o Brasil que tem a oleaginosa como principal cultura. Por isso, devemos ter um novo aumento de área plantada. Nos últimos sete anos, a área de cultivo cresceu 14 milhões de hectares. E a alta deve continuar com as projeções indicando, ainda, preços razoáveis para o grão”, declarou.


menu
menu