Estratégia digital vai ser fundamental na era do Varejo 4.0

Estratégia digital vai ser fundamental na era do Varejo 4.0

*Por Leonardo Oliani

Apostar em novas estratégias e tecnologias disruptivas, como internet das coisas e inteligência artificial, para entregar experiências mais completas é fundamental para que o varejo acompanhe seus clientes. No entanto, segundo dados divulgados neste ano pela Associação Brasileira de Automação para o Comércio (Afrac), apenas 35% do varejo brasileiro tem adotado estratégias digitais em seus negócios.

Hoje a jornada do cliente no varejo é, em quase todo o seu caminho, digital. A única exceção é a última parte do negócio: a entrega da mercadoria. Nem mesmo o setor de vestuário, em que o “toque e a sensação” fazem parte da experiência de compra do produto, escapa dessa tendência, afinal, até mesmo os ajustes nas roupas podem ser feitos digitalmente para que a peça chegue ao cliente no tamanho exato.

Ainda assim, o varejo é um setor em que uma parcela considerável de seus executivos acredita que a transformação digital não vai causar um grande impacto, algo que, na era “pós-Spotify”, é impossível – afinal, da mesma forma que os consumidores estão mudando a forma com que ouvem música, também estão mudando a maneira de comprar.

Transformação digital é caminho sem volta

Seguindo a tendência da indústria 4.0, fruto da massificação da internet impulsionada pela transformação digital e pelos dispositivos cada vez mais conectados, o varejo também tem sido impactado pela proliferação de dispositivos inteligentes e ferramentas integradas a sistemas de inteligência artificial, machine learning, realidade aumentada e big data.

Neste momento, que chamamos de Varejo 4.0, as empresas do setor precisam entender a importância de expandir seus negócios para o digital, trabalhando com os dados dos clientes e apostando em processos de big data e analytics para entregar uma experiência verdadeiramente omnichannel, na qual os clientes possam navegar livremente entre o online e o offline.

Segundo uma pesquisa divulgada pela Forbes Insights, em agosto deste ano, 51% dos executivos do setor varejista afirmam dedicar grandes esforços à internet das coisas e 53% relatam também empregar análises visuais para ter mais entendimento das preferências e do comportamento do consumidor. Além disso, dados divulgados pelo IDC estimam que 40% dos varejistas vão desenvolver, em 2019, alguma arquitetura de experiência do cliente baseada em inteligência artificial.

Os principais desafios dessa jornada

Ainda de acordo com informações do IDC divulgadas neste ano, até 2021, 40% do PIB da América Latina vai ser digitalizado, com crescimento impulsionado por ofertas, operações e relações digitalmente aprimoradas pelo uso de dados, tendo a experiência do cliente no centro da estratégia de negócios das empresas na região.

No entanto, são vários os desafios nessa jornada, como reduções do orçamento, devido à situação econômica do país, tecnologias legadas obsoletas, e incapacidade de desenvolver e entender o ROI da transformação digital.

Diante deste cenário, a melhor maneira de se preparar para o Varejo 4.0 é dar início a uma estratégia de transformação digital eficiente, que inclua uma avaliação profunda dos processos de negócio atuais para então avaliar quais novas tecnologias podem fazer a diferença e trazer maior retorno de investimento.

No final, muito mais importante do que comprar softwares e criar novos canais de compra é a estratégia e o planejamento para implementar uma nova abordagem em relação à adoção de novas tecnologias, incluindo mudanças organizacionais que vão desde o back office até o atendimento ao cliente.

*Leonardo Oliani é CEO da Astéria, empresa que oferece soluções digitais ao varejo


menu
menu