Embrapa cria tomate-cereja com teor de nutrientes mais elevados no Brasil

Embrapa cria tomate-cereja com teor de nutrientes mais elevados no Brasil

Uma equipe de pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) usaram técnicas de melhoramento genético para desenvolver um tomate-cereja com teores mais elevados de açúcar e licopeno (substância que dá a cor avermelhada ao fruto) e com maior resistência a pragas comuns, diminuindo bastante a demanda de agrotóxicos na produção. Ele é resultado de uma pesquisa iniciada em 2007.

Além disso, o trabalho, totalmente nacional, visa reduzir o custo de cultivo do tomate-cereja, atualmente baseado em sementes importadas. Com o desenvolvimento da estatal, os produtores brasileiros não precisarão pagar royalties, o que fará o custo da produção cair em até 30%.

Benefícios

Ao ser ingerido, o nutriente funciona como antioxidante e, de acordo com estudos, está associado à prevenção do câncer, principalmente o da próstata. “Estudos clínicos têm recomendado um consumo diário de 10 mil a 60 mil microgramas de licopeno para uma eficaz ação de proteção contra o câncer de próstata. Precisaríamos de 8 a 10 frutos de 20 gramas cada para suprir as necessidades diárias mínimas”, explicou o pesquisar da Embrapa Hortaliças, Leandro Boiteux.

O tomate já é cultivado em São Paulo, Paraná, Bahia, Ceará e Goiás, além do Distrito Federal, e é resistente a pragas como pinta-bacteriana, requeima e oídio – substância que impede a fotossíntese – além de tolerante à mancha bacteriana e virose.

O próximo passo é desenvolver tomates-cereja com mais luteína. Esse nutriente importante para a saúde dos olhos e na prevenção da catarata não tem em grande quantidade nas plantas, porém os pesquisadores já têm conhecimento da fonte. “Tomates grapes (uvas, em tradução livre) são ótimas opções nutricionais porque são pequenos e doces. Funcionam como cápsulas naturais na prevenção de doenças”, finalizou.


menu
menu