Edição de Outubro/2016 – Nielsen Shopper insights

Informações até junho de 2016

Panorama do canal internet em compras de FMGC

Apesar de ainda pequeno, o e-commerce continua sendo um canal em crescimento no Brasil, não apenas para bens duráveis como também para não duráveis. Só no último ano, a compra online de não duráveis foi realizada por quase 800 mil consumidores no país. A maior parte ainda está experimentando esse formato, mas 30% dos consumidores já repetiram a experiência ao menos uma vez. O desembolso com não duráveis pela internet em um ano é, em média, R$ 57. A classe AB representa 81% das vendas de FMCG no canal, e a maior concentração de gastos ocorre em lares de 3 a 4 pessoas, com donas de casa acima de 50 anos.

O maior percentual de compradores está concentrado no Nordeste, Interior de São Paulo e Sul, mas o Interior de São Paulo destaca-se no faturamento, sendo responsável por 41% do gasto nesse canal. Essa região apresenta maior número de itens e, principalmente, Ticket Médio – quase três vezes maior que a média nacional.

2222222

Gráfico – Importância em vendas em valor % por áreas Fonte: Nielsen Homescan | Brasil | T.60 categorias

A cesta de Higiene e Beleza é a de maior consumo na internet, tendo sido adquirida por 78% dos lares que compraram via e-commerce. Entretanto, categorias de Mercearia e Bebidas também já começam a performar nesse canal, que ainda é dominado pelo perfume e produtos de cuidados com o cabelo.

11111

Ranking de categorias com maior gasto na internet

O consumo online ainda é bastante esporádico, principalmente porque as categorias mais compradas são de baixa frequência, porém este canal se configura como uma das principais oportunidades de expansão de negócios. A experiência personalizada, a falta de tempo e a diversão são as razões mais citadas como motivação de compra na rede de computadores.

Para mais informações, entre em contato com Aurélia Vicente, Manager for Retailers – Consumer Panel Services     (Aurelia.Vicente@nielsen.com)


menu
menu