Edição de Março/2017 – Nielsen Shopper Insights

Edição de Março/2017 – Nielsen Shopper Insights

189.March.2017.NIELSEN

Edição Março de 2017

Millennials e População Madura – quais a oportunidades que cada perfil revela?

Com o passar do tempo, conhecer o shopper se tornou algo indispensável para o varejo. Para a indústria, tal conhecimento traz aprendizados que refletem no desenvolvimento de produtos, comunicação e todas as estratégias de marketing. Para o varejo, esse entendimento diz respeito a afinar o ritmo que as inovações chegam às lojas. Saber quem são as pessoas que frequentam cada canal de compra, suas preferências, estágio de vida, por exemplo, faz toda a diferença num contexto em que os varejistas têm a responsabilidade de dar acesso à população: quanto à produtos que atendam a demanda, especialmente num cenário de bolso apertado, a serviços e, mais do que tudo, conectar o shopper com experiências de compra que o fidelizem. Essa integração diz respeito à ações que vão desde ser um parceiro que viabiliza condições de consumo para equilibrar custo-benefício-qualidade, até a possibilidade de ser aquele que proporciona inovação no ponto de venda e experiências únicas.

Atuar de maneira minuciosa para atender diferentes perfis é um cenário desafiador, no entanto, há dois grandes extremos da população que são pontos de atenção, e isso não se dá só pela faixa etária que os distinguem, mas sim pelas experiências que já vivenciaram. Os Millennials, população com idade até 34 anos, passaram por uma crise pela primeira vez e são filhos de um consumo mais farto. Já a população madura, com idade a partir dos 60 anos, é mais critica e busca aderência de produtos e serviços com seu novo estilo de vida: essa parcela da população quer ser independente e ativa.

Sobre os Millennials, 25% da população, com idade entre 25-34 anos, ainda mora com os pais, fato que muda o gasto das famílias em que estão inseridos, pulverizando consumo digital e incrementando o carrinho de compra com itens mais sofisticados e, até mesmo, supérfluos. É um perfil mais fiel às marcas líderes, destacando um esforço para manutenção de itens de maior valor agregado em suas casas. Essa realidade revela um ponto de atenção no cenário de crise: o varejo precisa fidelizar esse consumidor, oferecendo novidades no ponto de venda e, ao mesmo tempo, construindo uma relação de longo prazo. Soluções personalizadas e lealdade são as palavras-chaves no relacionamento com esse grupo.

Já a população madura é mais crítica ao visitar o ponto de venda e quer maior comodidade. Além disso, frequentam a loja de maneira diferente, uma vez comparada com o restante da população:

  • 49% das donas de casa maduras vão às lojas no período da manhã (vs. 37% média da população) e, no mínimo, 3 vezes por semana;
  • 72% faz compras ao longo da semana em detrimento de sábado e domingo (vs. 28% média população);
  • 48% afirma não levar lista de compras e 67% diz que compra mais do que precisa se encontra algo atrativo no ponto de venda.

189.March.2017.NIELSEN_GRAFICO 

Estar preparado para atender bem esses dois grandes perfis será crucial, pois ambos querem hiperconveniência. Os jovens se sentem mais respaldados atualmente, mas a população madura quer mais.

Eles são conectados: 5 milhões de idosos acessam a internet atualmente, número 10 vezes maior frente 2008; 59% não reconhece marcas que comunicam corretamente para seu perfil; na loja, querem tanto carrinhos elétricos para compras quanto assistência com as sacolas, e nas prateleiras rótulos faceis de ler e informações nutricionais claras. Importante criar soluções que os surpreendam!

Para mais informações, entre em contato com Raquel Ferreira,

Consumer Panel Services, Strategy&Innovation,

raquel.ferreira@nielsen.com


menu
menu