Consumo de carne suína pode aumentar 1,63% em 2018

Consumo de carne suína pode aumentar 1,63% em 2018

O consumo doméstico de carne suína pode aumentar 1,63% neste ano, o que corresponde a 49,6 mil toneladas a mais na comparação com o resultado estimado para 2017. É o que afirma um estudo do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea, Esalq/USP, Piracicaba/SP).

Esse crescimento na demanda tem como base o cenário mais conservador de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) previsto pelo Banco Central do Brasil (BC), de 0,62% em 2018.

O Cepea estima um aumento de 2,38% na produção de carne suína, enquanto a fabricação de frango deve crescer 3,34%. Com isso, os excedentes exportáveis seriam 5,27% superiores em 2018 frente ao ano de 2017.

Segundo os pesquisadores, o desafio da suinocultura nacional neste ano será ampliar os destinos da carne brasileira no mercado externo. Em 2017, os maiores importadores de carne suína brasileira foram: Rússia, Hong Kong e China, que, juntos, adquiriram 68,4% de todo o volume embarcado até o mês de novembro.

Se eventualmente o consumo nacional de carne suína aumentar mais, a quantidade de excedentes exportáveis tende a aumentar menos. Em relação ao cenário doméstico, as possíveis recuperações da economia e retomada do crescimento em 2018 tendem a elevar o consumo geral da população. Dessa forma, a expectativa é de aumento na demanda por carnes. As informações são do portal feed&food.


menu
menu