Cheque especial: 17% dos consumidores utilizam recurso, revela pesquisa

Cheque especial: 17% dos consumidores utilizam recurso, revela pesquisa

Nos últimos 12 meses, 17% dos consumidores recorreram ao cheque especial, sobretudo as classes A e B (29%), sendo que quase a metade (46%) possui o hábito de entrar todos os meses e 20% a cada dois ou três meses; entretanto, 80% afirmam não ter usado o limite neste período. As informações são de uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), que acaba de ser divulgada.

Segundo o levantamento, a modalidade do cheque especial foi utilizada principalmente para cobrir imprevistos com doenças e medicamentos (34%), quitar dívidas em atraso (23%) e realizar manutenção de automóveis ou motos (18%). Já 17% teve que utilizar o recurso por descontrole no pagamento das contas.

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, afirmou que o fato do serviço não exigir qualquer tipo de burocracia ou garantia provoca alto custo de uso. “Sem perceber, muitos entram no limite por achar que o recurso faz parte do seu saldo bancário. E, no fim das contas, acabam pagando juros altos”, ressaltou.

A sondagem mostrou que quase a metade dos entrevistados (45%) reconheceu não ter analisado as tarifas e os juros ao utilizar o cheque especial, seja porque não pensou nisso na hora (20%) ou porque precisava muito do recurso e acabou contratando independentemente dos custos (19%). Como resultado, a maioria (63%) afirmou desconhecer as taxas e os juros cobrados pelo uso do limite, principalmente as classes C, D e E (72%). Em contrapartida, 48% disse ter avaliado os custos cobrados na hora de usar.

A inadimplência dos que recorrem ao limite do cheque especial e não conseguem cobri-lo levou um terço dos entrevistados (30%) a ter seu nome sujo. Dentre esses, 15% já regularizaram a situação e 14% permanecem negativados.

De acordo com os especialistas do SPC Brasil, as mudanças nas regras do cheque especial que entraram em vigor no último domingo (01/07) prometem melhorar esse quadro — as instituições financeiras passarão a entrar em contato com os clientes que usarem mais de 15% do limite da conta por 30 dias consecutivos. Pela nova regra, os bancos deverão oferecer como alternativa um financiamento pessoal mais barato, com a possibilidade de parcelar a dívida.

O levantamento ainda mostrou  que antes de entrar no limite do banco, mais de um terço dos usuários de cheque especial (36%) até tentou alternativas de crédito, mas não conseguiu. Já 53% nem sequer cogita essa possibilidade.


menu
menu