Amazon mira compra direta de mercadorias para revenda no Brasil

Amazon mira compra direta de mercadorias para revenda no Brasil

Na última semana, a Amazon se reuniu com fabricantes de eletrônicos, perfumaria, entre outros produtos, na capital paulista, para o anúncio de que começará a comprar diretamente as mercadorias e se responsabilizará pelo armazenamento e entregada dos itens no Brasil, conforme informaram à Reuters fontes que marcaram presença no evento.

Esse tipo de investimento representa mais uma ação da companhia para expandir os negócios no comércio online brasileiro. A empresa, que entrou em 2012 no país, comercializando apenas livros físicos e digitais, hoje vende itens de outros lojistas em seu marketplace, lançado em outubro do ano passado, conforme publicou a SuperVarejo.

No evento, a gigante do e-commerce convidou os participantes para se cadastrarem no sistema da companhia até o dia 9 de março para futura venda direta dos produtos, como divulgou a agência de notícias.

Sem entrar em detalhes, os representantes da empresa informaram que os itens seriam armazenados em instalações na Grande são Paulo. No início de fevereiro, a Reuters noticiou que a Amazon estava transferindo as operações logísticas no Brasil para um complexo de galpões no município de Cajamar, a 50 quilômetros da capital paulista, onde negociava a locação de pelo menos 50 mil metros quadrados.

“Eles apresentaram a Amazon, depois disseram que vão comprar diretamente dos fabricantes para revender”, contou uma das fontes, que pediu anonimato porque as conversas ainda estão em andamento. Entre os executivos presentes na ocasião estava Ticiana Mártyres, gerente sênior de vendas da Amazon no Brasil, disse a fonte.

Os serviços de transporte e de atendimento ao cliente também seriam próprios no país, conforme informaram as fontes da agência de notícias. “Eles falaram que voltam a conversar, mas todos têm que fazer o cadastro até dia 9 para dar continuidade às próximas etapas”, explicou a segunda fonte.


menu
menu